Comitiva de senadores brasileiros recebida no Haiti e em Cuba dialoga sobre colaboração entre os países

Anibal Haiti 1

Em visita oficial ao Haiti e a Cuba, nos dias 15 e 16 de janeiro, os integrantes da Comitiva da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, senadores Aníbal Diniz, Luiz Henrique da Silveira e Inácio Arruda, foram recebidos por senadores haitianos, em Porto Príncipe e pelo presidente da ANPC, Ricardo Alarcóon de Quesada, em Havana.. Na pauta, a cooperação entre os países, principalmente entre as instituições parlamentares. Em Porto Príncipe, a comitiva, que estava acompanhada pelo brigadeiro Rui Mesquita, pelo ministro Eduardo Carvalho e do secretário Rodrigo Wiese Randing (do Itamaraty), foi recebida pelo presidente do Senado Haitiano, Dieiseul Simon Desras, com o qual manteve conversações em torno de questões relativas à modernização das eleições, sobre fontes alternativas de geração de energia, políticas de segurança alimentar e reforço da Polícia Nacional do Haiti, além, evidentemente, de suporte em questões humanitárias.

 

 

Com respeito ao voto eletrônico, em que o Brasil detém domínio total da tecnologia, o senador haitiano remarcou que o Brasil, como o Haiti, passou por uma ditadura e hoje está muito avançado na prática democrática, inclusive com o voto eletrônico, cuja experiência poderá ajudar bastante ao seu país.

 

O senador Jocelerme Privert enfatizou a importância da cooperação brasileira na questão da energia elétrica, manifestando sua confiança de que os senadores brasileiro em visita ao país podem "contribuir enormemente para atrair investimentos brasileiros neste setor.

 

 

Segundo ele, o Haiti dispõe de 500 MW de energia elétrica para suprir seus 10 milhões de habitantes, apesar dos investimentos que têm sido feitos e a despeito de o país oferecer toda sorte de incentivos fiscais e alfandegários aos investidores que quiserem fazer negócios neste setor.

 

O senador Aníbal Diniz (PT/AC) explicou que a visita da missão de senadores brasileiros tinha como objetivo reforçar a amizade entre os dois países, sobretudo através de seus parlamentos. Ele disse aos parlamentares haitianos que o Brasil está interessados em continuar com a sua cooperação ao Haiti em vários setores, como o de tecnologia, energia e organização de eleições. Ele garantiu que o parlamento brasileiro está disposto a trabalhar para aumentar as relações com o país.

 

Além da agenda com o Senado Haitiano, a comitiva brasileira fez uma visita a uma das bases brasileiras que estão à serviço da MINUSTAH - que é a Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti, onde os senadores tiveram uma visão geral dos problemas enfrentados e da importância da presença da força de paz naquele país. O Brasil tem o maior respeito do povo haitiano porque contribui com o maior contingente de soldados e, principalmente, porque trata as pessoas com respeitoso solidariedade.

 

Com o presidente do Haiti, Michel Joseph Martelly, os senadores e o corpo diplomático brasileiro tiveram uma reunião de grande importância para tratar das ações humanitárias desenvolvidas por equipes brasileiras naquele país e, principalmente, para trocar idéias e ouvir do presidente sobre quais são as prioridades para esse momento de reconstrução. Tratou-se de programas de habitação popular com estrutura pré-moldada, da eficiência das pequenas centrais elétricas como alternativa à deficiência energética do país, de tecnologia para a produção de alimentos para a segurança alimentar do povo haitiano e também das urnas eletrônicas utilizadas nas eleições brasileiras, que podem ser testadas nas próximas eleições do Haiti.

 

 

O senador Aníbal Diniz fez questão de levar ao conhecimento do presidente Martelly a situação de humilhação a que cidadãos haitianos estão sendo submetidos no trajeto que fazem até o Acre, através da República Domenicana, Equador e Peru, e sugeriu ao presidente que se reúna com o corpo diplomático brasileiro para que seja organizada uma estratégia de regularização da migração de haitinos para o Brasil, uma vez que, só pelo estado do Acre, já entraram mais de 4 mil irregularmente desde dezembro de 2010.

 

 

A agenda dos senadores no Haiti terminou às 8 horas da noite, com uma reunião de avaliação com o representante do Secretário Geral das Nações Unidas, embaixador Mariano Fernandez, que reforçou a importância do parlamento brasileiro se fazer presente num momento tão difícil quanto o vivido pelo povo daquele país.

 

De Porto Príncipe, a comitiva seguiu às 9:30 da noite para Havana, onde foram recebidos pelo embaixador José Eduardo Martins Felício, que fez uma explanação sobre a conjuntura econômica de Cuba e as relações do país com o Brasil, sobretudo no tocante à presença de parceiros brasileiros em empreendimentos conjuntos – atuais e futuros.

 

O embaixador falou também aos senadores brasileiros sobre o crescimento do comércio bilateral, do aumento das exportações cubanas ao Brasil e das possibilidade de aquisição futura de serviços médicos e medicamentos cubanos. A comitiva foi recebida, também, no Ministério do Comércio Exterior e Investimento Estrangeiro pelo vice-ministro Oscar Perez-Oliva Fraga, que destacou o excepcional relacionamento entre os dois países. Destacou os financiamentos brasileiros para projetos de infraestrutura e aquisições de bens no Brasil, e também a cooperação recebida, com ênfase nos projetos agrícolas (produção de soja e milho).

 


 

Os senadores, visitaram as obras do Porto Mariel, cuja construção conta com a participação da empresa brasileira Odebrecht, recebendo informações sobre a obra por parte dos dirigentes cubanos e brasileiros responsáveis pelo projeto, que deve ser concluído antes do fim do ano.

 

A visita às obras do Porto Mariel foi o ponto mais importante da agenda em Cuba, uma vez que, quando entrar em operação, esse Porto vai gerar milhões de dólares e muitos empregos para o povo cubano, além de se transformar em breve no entreposto mais importante da bacia do Caribe, com estrutura de embarque e desembarque superior à existente no Canal do Panamá e com uma Zona Especial de Desenvolvimento Econômico que atrairá muitas empresas de vários países. O serviço de operacionalização do Porto ficará a cargo de uma empresa de logística de Singapura, considerada a segunda maior do mundo nessa área.

 

O Porto de Mariel teve início no final do governo do presidente Lula, que fez 4 visitas a Cuba durante seus 8 anos de mandato, e será inaugurado em janeiro de 2014 possivelmente com a presença da presidenta Dilma, que já esteve em vistoria às obras em companhia do presidente Raul Castro.

 

Durante à exposição técnica e a visita ao canteiro das obras, os engenheiros responsáveis pelo consórcio formado pelas empresas Odebrecht e Quality, de Cuba, ressaltaram a importância da presença dos senadores para que esta parceria entre o Brasil e Cuba chegue ao conhecimento de todos os brasileiros.

 

O presidente da Assembleia Nacional do Poder Popular de Cuba, Ricardo Alarón, acompanhado da deputada Yanielys Regueiferos e dos deputados Ramón Pez Ferro e José Luis Fernandez Yero (presidente do grupo parlamentar Amizade Brasil-Cuba), também recebeu a comitiva brasileira. De acordo com notícia publicada no jornal Granma, de Cuba, Alarcón agradeceu o apoio de parlamentares brasileiros em causas que defendem a ilha caribenha, como o fim do bloqueio econômico e financeiro imposto pelos Estados Unidos há mais de meio século.

 

Durante o jantar, houve troca de presentes entre o vice-presidente do Senado brasileiro e o presidente do Congresso cubano, o deputado Ricardo Alaron.

 

Add a comment (0)

Governo entregará ao Incra pedido de regularização do seringal Miritizal no Juruá

cesr messias recebe

O governador Tião Viana e o diretor do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Glenilson Figueiredo, vão entregar nesta semana ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) um pedido de regularização das terras do seringal.

 

Glenilson Figueiredo explica que, junto ao pedido o Iteracre, também entregará documentos com o cadastramento das 500 famílias que vivem na região e os estudos de georeferenciamento da área.

“Antes aquela região do seringal Miritizal fazia parte da zona rural, mas de uns anos para cá o local esta na área urbana. Como é uma área da competência do Incra, o governador vai fazer esse pedido de regularização das terras”, detalha Glenilson Figueiredo.

O diretor do Iteracre ressaltou que, com a regularização fundiária das terras, as famílias podem buscar contratações de crédito em bancos e fazer melhorias nos seus imóveis. A regularização de terras está entre os eixos de governo da gestão de Tião Viana, que desde que assumiu o mandato disse que essa era uma das prioridades de governo, tendo em vista que no Acre 70% das áreas do Estado ainda não estão regularizadas.

“A nossa meta é inverter esse dado até 2014, entregando sete mil títulos de propriedade. Isso é um desafio”, declarou o diretor do Iteracre.

Nayanne Santana

 

 

Add a comment (0)

Associação Comercial do Alto Juruá confirma preocupação e também protesta contra preços abusivos da Gol Linhas Aéreas

2

Após a divulgação de nota publicada pela Federação do Comércio do Acre (Fecomércio/AC), pedindo providências da classe política do Estado do Acre e do Ministério Público Estadual (MPE) contra os preços abusivos cobrados pela Gol Linhas Aéreas, o presidente da Associação Comercial do Alto Juruá (CCAJ), Marcos Venícius, se solidarizou com a entidade e confirmou que os empresários do Juruá também consideram abusivos os preços praticados pela empresa no trecho Rio Branco/Cruzeiro do Sul.

 

O empresário protestou contra o abuso da tarifa cobrada pela empresa aérea no Juruá, que é a mais cara do país e afirma que em trechos como Rio/São Paulo, onde a concorrência é grande, uma passagem aérea chega a custar R$ 80 reais, o mesmo valor que é cobrado de Cruzeiro do Sul até Rio Branco pelas empresas que fazem o transporte rodoviário pela BR-364.

 

Por falta de concorrência a Gol chega a cobrar R$1.500,00 por um bilhete aéreo ida e volta no trecho Cruzeiro do Sul/Rio Branco. Para Manaus, dependendo do dia o bilhete chega a custar até R$ 3mil.

 

Segundo o presidente da ACAJ, a política de exploração que a Gol Linhas Aéreas tem implantado na região tem sido muito prejudicial tanto para a população quando para os empresários que na maioria das vezes não tem condições de programar suas viagens.

“Só é possível fazer uma programação quando se tira férias. No nosso caso é diferente, muitas vezes surgem urgências e temos que fazer até duas viagens por mês. Com o preço praticado pela Gol Linhas Aéreas não tem quem agüente”, protestou.

 

Marcos Venícius agradeceu a preocupação do presidente da Fecomércio, Leandro Domingos, que denunciou o abuso e considera que a falta de fiscalização da Agencia Nacional Aviação Civil (ANAC) e dos políticos do Estado do Acre tem facilitado a empresa abusar no preço das tarifas no Juruá.

 

Segundo o presidente o preço abusivo do bilhete aéreo já causou uma queda de mais de 50% da lotação e a população do Juruá pode ser prejudicada ainda mais com uma possível retirada do único vôo aéreo que chega a Cruzeiro Sul. Enquanto isso, o transporte rodoviário teve um aumento significativo e segundo as informações mais de 20 mil passageiros utilizaram o serviço nos últimos dois meses no trecho Rio Branco/Cruzeiro do Sul.

 

www.vozdonorte.com.br 

Add a comment (0)

Fecomércio alerta para risco de retirada do vôo da Gol Linhas Aéreas do Juruá

Leandro domingos

 

O presidente da diretoria da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Acre (Fecomércio/AC) publicou neste fim de semana, Nota de Advertência, na defesa dos interesses dos empresários e da sociedade de Cruzeiro do Sul, advertindo a classe política do Acre, o Ministério Público e a sociedade em geral da prática abusiva de preços que vem sendo implementado pela companhia GOL LINHAS AÉREAS, no trecho Rio Branco-Cruzeiro do Sul-Rio Branco.

 

Segundo a advertência, em passado recente, a companhia praticou subpreços e com isso eliminou as concorrentes que também faziam aquele trecho, em razão de não poderem competir em igualdade de condições, ficando a Gol operando sozinha, absoluta.

 

“ Entendemos que, com a abertura da BR-364, no trecho que liga a Capital àquela cidade, a empresa perdeu passageiros, e hoje já não tem interesse em continuar operando. Para criar fundamentos preparatórios para sua retirada, vem fixando preços abusivos e, conseqüentemente, afastando os clientes. Por isso acreditamos que o objetivo é justificar a inviabilidade financeira da operação de suas aeronaves para a referida localidade”, alertou.

 

O presidente da Fecomércio destacou que atualmente, os bilhetes estão sendo vendidos ao preço de até R$ 1.500, trecho de ida e volta, o que é preço de vôo internacional e em face disso a aeronave tem decolado com menos de 50% de ocupação, afirmando que empresários de Cruzeiro do Sul são os mais prejudicados, visto que suas viagens, quase sempre, não são programadas, tendo que sucumbir às tarifas cheias da companhia.

 

“ Fica, portanto, nossa advertência e pedido para que as autoridades tomem providências, não apenas pela elevada tarifa, mas também pela manutenção do atendimento aéreo, já que, apesar do tráfego rodoviário normalizado, o transporte aéreo se faz necessário, em virtude da distância que separa Cruzeiro do Sul da Capital. Não vamos nos surpreender se a Gol anunciar, a qualquer momento, que não mais fará esta linha aérea”, afirmou.

Add a comment (0)