18 mil cães vivem soltos nas ruas de Cruzeiro do Sul, mas Promotoria do Meio Ambiente proíbe eutanásia

cachorros 1

A quantidade de animais que vivem soltos nas ruas do município é assustadora e tem sido a causa de muitos acidentes envolvendo motociclistas que são prejudicados com seqüelas e prejuízos financeiros. Um levantamento do Centro de Zoonoses garante que existem cerca de 18 mil cães vagando pelas ruas da cidade.

Muitos animais tem dono, outros foram abandonados e jogados na rua e a falta de um local para abrigar os cães tem sido uma reclamação constante da população, principalmente dos motociclistas que são os mais prejudicados pelos animais que atravessam as ruas e derrubam os condutores de motos.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas, José Eudes, afirma que já presenciou vários acidentes de trânsito envolvendo cachorros. “Temos vários moto taxistas que sofreram acidentes por causa dos cachorros que vivem na rua. Alguns já foram parar no hospital com braço quebrado, perna quebrada, sem contar o prejuízo causado nas motos” disse.

Segundo o presidente nem ele escapou. “Eu ia à moto, quando de repente o cachorro pulou de dentro de uma caixa de lixo e saiu correndo. Passou na frente da moto, não tive tempo de desviar ou frear e cai. Se não podem prender, nem podem matar os cachorros porque é crime estamos correndo risco permanente de morrer por causa deles”, protestou.

O coordenador do Centro de Zoonose, Arison Geraldo Rosas, lembrou que a prática de Eutanásia foi proibida pelo Ministério Público do Estado (MPE). A determinação é apenas para fazer a captura dos animais e em um prazo de 72 horas. Se o dono não aparecer o animal é castrado, vacinado e colocado para adoção. Não havendo interessado é solto novamente nas ruas “disse.

Segundo Arison Rosas o município não condições de manter os animais com alimentação, pois toda semana são mais 20 cães capturados. Na opinião do coordenador a solução mais viável para reduzir a quantidade de animais soltos nas ruas seria as pessoas buscarem o Centro de Zoonose para fazer adoção.

A Ação Civil Pública movida pelo Promotor do Meio Ambiente, Leonardo Honorato foi acatada pela Desembargadora Eva Evangelista e o novo promotor, Wendy Takao Hamano, que assumiu o cargo recentemente, disse que a intenção do MP é evitar que os animais sejam sacrificados, no entanto, destaca que a população pode colaborar fazendo adoção dos mesmos.

“A castração é a alternativa mais viável encontrada para evitar que o número de cães soltos na cidade continue aumentando”, disse o promotor.

Elson Costa - Fotos:Elson Costa

 

Add a comment (2)

Executivo e Judiciário reforçam parceria e agenda conjunta para 2013

Tiao viana e judiciario

O governador Tião Viana fez na tarde desta segunda-feira, 18, uma visita institucional a presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Roberto Barros

O governador Tião Viana fez na tarde desta segunda-feira, 18, uma visita institucional ao presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargador Roberto Barros, que também foi acompanhada pela vice-presidente do TJ, desembargadora Maria Cezarinete Angelim e pelo corregedor-geral do Tribunal, desembargador Pedro Ranzi.

 

 

 

Durante a conversa com a presidência do Poder Judiciário, Tião Viana destacou que o Acre vive atualmente um momento de elevação das instituições e completou “A democracia precisa de instituições fortes”.

Tião Viana acrescentou que o governo confia na instituição Tribunal de Justiça e tem certeza que o Poder Judiciário quer está cada vez mais fortalecido para servir ao cidadão. “Então, essa relação de respeito e consideração eleva a democracia”, pontuou o governador.

O presidente do Tribunal, desembargador Roberto Barros, observou que estas visitas institucionais também estão fazendo parte de sua agenda em respeito ao trabalho de outras instituições, além do Poder Executivo, como forma de demonstrar que o TJ buscará as parcerias necessárias para manter as boas gestões.

A desembargadora Maria Cezarinete Angelim, vice-presidente do TJ, avalia que quem ganha com a paz institucional e o respeito pelo trabalho executado por cada instituição é o cidadão.

“Essa paz institucional é indispensável ao bem público, ao exercício da democracia e com certeza quem sempre será mais agraciado com essa união, com essa parceria institucional é a sociedade”, comentou a vice-presidente.

Pedro Ranzi, corregedor-geral do Tribunal, conclui que a vista do governador Tião Viana à presidência vem para selar as conversas que estavam sendo construídas e é importante para aparar arestas.

“O Estado é um só. O Executivo, o Legislativo, cada um exercer seu trabalho baseando-se no respeito e esperamos que o Tribunal sempre faça prevalecer à cidadania”, concluiu o corregedor-geral.

Agência de Notícias do Acre - Nayanne Santana- Fotos:Gleilson Miranda/Secom

Add a comment (0)

Granja Carijó: meta de um milhão de ovos por dia

Carijo 1

Plantel da granja é formado por 84 mil aves, que após um ano e dois meses são trocadas

Para fazer um bolo simples, são necessários cinco ovos. Omelete, panqueca, o tradicional "bodó" acreano e até drinks alcoólicos são preparados com um ingrediente rico em proteínas: o ovo. Talvez o leitor ainda não tenha se dado conta, mas é ele que se compra no supermercado e vira algumas delícias na cozinha da sua casa, sendo produzido em Rio Branco numa escala cada vez maior. A Granja Carijó, indústria que se iniciou em Cruzeiro do Sul e hoje tem filial na capital, já é responsável pela produção de 50% do mercado acreano.

Há 32 anos a Granja Carijó iniciava suas atividades em Cruzeiro do Sul, numa época em que a estrada fechava durante a maior parte do ano - algumas vezes nem era aberta. Hoje, com a BR-364 praticamente concluída e a maior parte da produção de milho concentrada na região do Baixo Acre, a indústria decidiu expandir a atuação para Rio Branco. Investiu em tecnologia de ponta, em galpões adequados, e em um ano saltou de uma fatia de 17% do mercado acreano para 53%, numa produção de 75 mil ovos por dia e um plantel de 84 mil aves.

 

Quando a gente começou, lá em Cruzeiro do Sul, eu não podia imaginar que chegaríamos a esse patamar, mas tudo que vem de Deus é perfeito, e creio que vamos chegar ainda mais longe. Hoje os nossos filhos estão formados em áreas afins e todos nos ajudam. Temos um veterinário, um agrônomo e um engenheiro mecatrônico. Temos apoio do governo do Estado, do Banco da Amazônia e da população, que quando sabe que o ovo é Carijó coloca logo na sacola", disse o empresário Luiz Helosmam.

A Granja Carijó é um exemplo de trabalho familiar que deu muito certo: Helosmam conseguiu agregar os três filhos em torno do mesmo objetivo. Um se formou em veterinária, um em engenharia mecatrônica e o outro está concluindo agronomia. A máquina que distribui a alimentação para as galinhas num espaço adequado de tempo e em porções exatas, garantindo a produtividade do plantel, foi desenhada por um dos herdeiros do empreendimento.

O brasileiro tem um consumo per capita de 130 ovos/ano, enquanto o mexicano, por exemplo, consome 360/ano. O ovo é um dos alimentos mais ricos em proteína"

 

Governador Tião Viana visitou o empreendimento apoiado pelo Governo do Estado

O novo empreendimento, em Rio Branco, é fruto de um investimento de R$ 4 milhões, financiado pelo Banco da Amazônia e pela política de apoio ao setor industrial do governo do Estado através do Plano de Promoção de Negócios (PPN). A unidade de Cruzeiro do Sul continua na ativa e produz cerca de 18 mil ovos/dia.

"Aqui nós temos alta tecnologia incorporada à produção, que já atende mais de 50% do mercado acreano, e vai crescer este ano. O governo estimula a produção de milho e de outros grãos, o armazenamento, a estrutura e a logística. É também uma forma de incentivar a indústria, pois tudo é uma cadeia que melhora a nossa economia e gera emprego e renda", disse o governador Tião Viana.

Milho pra que te quero
Uma das vantagens da Granja Carijó é que ela produz a própria ração - a base de milho, farelo de soja, calcário e farelo de carne. Isso barateia o custo final e agrega um ganho a mais para a economia acreana: movimenta os produtores familiares, estimulando a produção e adquirindo as safras. "No ano passado nós zeramos todo o estoque do silo graneleiro da região. O consumo hoje está em 230 sacos de milho por dia, mas a meta de 2013 é chegar a um milhão de ovos por dia. Esse consumo vai subir para 1,5 mil sacos. É um incentivo para a produção familiar, para a cadeia produtiva e para a economia do Estado", comentou Diogo Luiz Helosman, veterinário e diretor da empresa.

 

Meta para 2013: 1 milhão de ovos por dia

Para chegar a um milhão de ovos por dia – e atingir 90% do mercado acreano –, serão necessários mais investimentos na estrutura, com a instalação de novos galpões para as aves, por exemplo. A alta produtividade da granja acreana também contribui: os baixos desafios sanitários, segundo o veterinário responsável pela granja, mantem a produtividade em 90% a 92%, enquanto em outras regiões do país ela não passa de 85%.

Os investimentos em tecnologia e pesquisa também fazem parte dos planos de expansão. "Estamos pesquisando a produção de ovo em pó e maneiras de embalar a vácuo, pois ele dura mais e tem mais competitividade na hora de exportar. Nossa meta é chegar ao mercado asiático, e a Estrada do Pacífico vai nos favorecer. Aqui nós temos 14 dias de vantagem em relação a quem exporta através do Canal do Panamá", explica Diogo.

Oportunidade para os jovens

Mirla, de 18 anos, faz planos para o primeiro salário

A Granja Carijó está instalada na estrada que liga Rio Branco a Boca do Acre (AM), logo após a Vila Pia, onde mora Mirla Franscica Lima de Oliveira, 18. Foi na indústria de ovos que ela encontrou o primeiro emprego. Embalando os ovos no suporte de papelão, ela faz planos para o primeiro salário, que ainda não recebeu: "Vou ajudar a reformar a casa da minha mãe e dar mais conforto ao meu filho - comprar as coisas para ele, uma roupinha, um brinquedo, um biscoito... É uma grande oportunidade, porque é perto da minha casa e deu oportunidade, mesmo sem que eu tivesse experiência", disse.

A indústria tem 50 empregos diretos, além dos indiretos, incluindo a unidade de Cruzeiro do Sul.

 

"A produção, quando incentivada, tem retorno certo. Esse é um exemplo de desenvolvimento no setor produtivo, mostrando que essa é uma economia viável," - Marcelo Macedo, vereador e economista

Carijó e Acreaves

Hoje os pintinhos que serão utilizados na granja viajam uma longa jornada de 3,4 mil quilômetros - de São Paulo até as unidades da granja. Cada ave dura em média um ciclo de um ano e dois meses, período em que produz aproximadamente 360 ovos. Em seguida são encaminhadas para abate na Acreaves, indústria de frangos instalada em Brasileia. Graças aos investimentos que têm sido feitos e à inauguração de uma incubadora, é da Acreaves que virão os próximos pintos da Granja Carijó. Isso vai reduzir custos e melhorar a qualidade das aves, ao diminuir o estresse da viagem em mais de três mil quilômetros.

Agência de Notícias do Acre - Tatiane Campos  - Fotos: Sergio Vale

Add a comment (0)

NASH Carlos Chagas ancora em Cruzeiro do Sul para atender ribeirinhos

Nash Carlos Chagas 1

O Navio de Assistência Hospitalar “Carlos Chagas” ancorou no porto de Cruzeiro do Sul neste domingo (17) para atender a população ribeirinha dos dez municípios dos Pólos de Atendimento B e C - Carauari, Itamarati, Ipixuna, Guajará, Eirunepé, Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo - com assistência médica, odontológica, laboratorial e vacinações oferecidas gratuitamente.

Os profissionais da Marinha do Brasil que estão a bordo do Carlos Chagas estão sob o comando do Capitão-de-Corveta Paulo Roberto de Almeida e Silva. A equipe médica está composta por três dentistas, cinco clínicos geral com especialidades em Ortopedia, Nefrologia e Ginecologia que iniciam seus trabalhos pela comunidade do Guarani, no município de Mâncio Lima.

Na 13ª missão da Marinha do Brasil na região do Juruá o NASH Carlos Chagas possui heliporto, duas lanchas rápidas, dois ambulatórios médicos, dois ambulatórios odontológicos, um ambulatório para exames, uma sala de cirurgia e uma sala de Raios-X, substitui o Nash Doutor Montenegro que está em manutenção e tem uma tripulação de 57 militares. O Imediato é o Capitão-Tenente Irlan Viana Rodrigues.

Medindo 47,19 metros de comprimento, 1,9 metros de calado e 18 metros de altura o NASH Carlos Chagas não consegue passar por debaixo da Ponte da União e por conta desse imprevisto o atendimento será feito de forma alternativa utilizando a estrutura da Secretaria de Estado de Saúde que vai garantir a presença da equipe médica nas comunidades ribeirinhas da região.

Segundo o Capitão-de-Corveta Paulo Silva os representantes da Secretaria de Saúde do governo do Acre já definiram a programação do atendimento médico que inicia pelos locais onde o acesso é mais rápido e em seguida será feito nas comunidades isoladas com apoio das lanchas que farão o deslocamento da equipe médica. Durante o atendimento os pacientes vão receber gratuitamente os medicamentos. 6,5 toneladas de medicamentos estão no estoque do navio.

“A expectativa é muito grande, é uma comissão de quatro meses, período que vamos ficar afastados das nossas famílias, mas é uma missão compensadora trazer a saúde à população ribeirinha que muito precisa. O Navio Doutor Montenegro está em manutenção e a Marinha do Brasil para honrar o seu compromisso determinou que o NASH Carlos Chagas viesse fazer o atendimento”, disse.

Add a comment (0)