Pesquisador coleciona fósseis de animais pré-históricos em Marechal Taumaturgo

Pesquisadoi 3 cranio e dente Mastodonte

Há mais de 30 anos o policial civil aposentado, Renato Bezerra Mota, se dedica a pesquisar e colecionar fósseis de animais pré-históricos encontrados nos arredores do município de Marechal Taumaturgo (AC), na fronteira com o Peru.  Os fósseis são guardados num museu particular na residência do colecionador.

O colecionador tem mais de 60 fósseis e a grande maioria foram encontrados nas margens do Rio  Juruá. “Os locais onde costumo encontrar os fósseis foram vistoriados por pesquisadores ingleses, americanos e alemães na década de 80 e alguns fósseis já estavam expostos por conta do desbarrancamento do Rio”, conta Renato Mota.

Sem um espaço adequado no município para expor as raridades ao público, Renato Mota, improvisou um museu na própria residência para guardar as peças. Devido a quantidade encontrada ele diz que está deixando de coletar mais fósseis por falta de espaço.

Alguns dos fósseis da coleção já foram identificados pelo paleontólogo Alceu Ranzi, da Universidade Federal do Acre (Ufac), como sendo de Purussauru, Mastodonte, Preguiça Gigante e Tartaruga Gigante.

“Purussauru é considerado pelos pesquisadores como um dos maiores jacarés que habitou na Amazônia, podendo chegar até a 17 metros de comprimento. O animal carnívoro era temido pela força nas garras e mandíbula”, disse o pesquisador.

Segundo Renato Mora o Mastodonte era outro gigante da pré-história que foi extinto Américas do Norte e do Sul há cerca de dez mil anos e há mais de dois milhões de anos no Brasil. O gigante pertencia a família dos elefantes chegando a medir três metros de altura e pesavam até sete toneladas.

A Preguiça Gigante é outro animal pré-histórico identificado em vários lugares do Acre por pesquisadores. Quando se colocava em pé  chegava a ter uma altura de até quatro metros e pesava mais de três toneladas.

Em entrevista por telefone ao G1, o diretor do Centro de Paleontologia da Universidade Federal do Acre (Ufac), paleontólogo Jonas Filho, disse que a Ufac  tem conhecimento da coleção de fósseis que existe em Marechal Thaumaturgo, mas devido a dificuldade de acesso ainda não foi possível visitar o local.

Segundo Jonas Filho, em Rio Branco a Ufac tem mais de seis mil fósseis de várias espécies de animais pré-históricos que estão expostos ao público que queira conhecer, inclusive das espécies no Alto Juruá.

Segundo Renato Mota que começou a se interessar pelo assunto na década de 80 depois que comprou dois fósseis – um maxilar e fêmur de animal ainda não identificado - encontrados por morador do município.

“Desde então  passei a pesquisar querendo descobrir que tipo de animal pertencia os ossos que comprei. Fui me identificando e pegando gosto pela coisa e em seguida comecei a pesquisar em algumas áreas do município onde existiam indícios dos fósseis encontrando mais peças”, disse.

Por conta da coleção de fósseis a residência de Renato Mota se tornou um dos pontos turísticos do município com a visita de turistas, pesquisadores, acadêmicos da Ufac e alunos do Ensino Médio de escolas públicas da região em busca de informações sobre as espécies que viveram na região.

Fonte: G1

Powered by Bullraider.com