Prefeito Burica visita comunidades do Paraná dos Mouras e garante mais ações na zona rural de Rodrigues Alves

Burica-com-povo

Terminou nesta sexta-feira (22) a viagem de três dias realizada pelo Prefeito Francisco Ernilson de Freitas (Burica) para visitar as comunidades do Paraná dos Mouras. Acompanhado de alguns secretários, entre esses, a de Assistência Social e Primeira Dama, Mônica Lima, o prefeito de Rodrigues Alves se reuniu com os moradores para ouvir as necessidades da população. Burica garante que as informações levantadas serão incluídas no Plano de Gestão para os quatro anos de seu segundo mandato.

Add a comment (0)

Lançamento da Pedra Fundamental do Fórum marca novo momento para justiça em Rodrigues Alves

DSC 4257

Uma parceria entre Tribunal de Justiça do Acre, Governo do Estado e Prefeitura, vai garantir que a população de Rodrigues Alves tenha os serviços do Poder Judiciário mais próximos da comunidade. O início da construção do Fórum do município foi marcado pelo lançamento da Pedra Fundamental nesta quinta-feira (31) em uma solenidade que teve a presença do presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Adair Longuini, do vice-governador César Messias e do prefeito em exercício Jailson Amorim.

 
Atualmente os moradores de Rodrigues Alves precisam viajar cerca de 40 quilometros até a cidade de Mancio Lima para ter acesso à maioria dos serviços da Justiça. Com exceção dos atendimentos no Juizado Cível, para tratar de qualquer outro tipo de processo é necessária à visita ao município vizinho e, para isso, o cidadão tem que desembolsar no mínimo R$ 14,00 com ônibus.
 
Com a construção do Fórum na cidade, todos os procedimentos judiciários serão oferecidos bem próximos da população de Rodrigues Alves. Durante o lançamento da Preda Fundamental, que simboliza o momento de instalação da sede da Justiça no município, o presidente do Tribunal, explicou que o prédio será construído, nos mesmos moldes do que existe em Xapuri, com capacidade para comportar uma Vara Cível, uma Criminal, o Juizado Cível e o Juizado Criminal.
 
“Planejamos para instalar todas as comarcas do Acre até 2014 e ainda temos Jordão, Porto Walter e outros pela frente. Mas, aqui em Rodrigues Alves, quando percebi que o município tem cerca de 15 mil habitantes com mais de 700 quilomentros de ramais, decidi com minha equipe que era preciso construir um Fórum urgentemente. Isso é de grande importância porque em breve teremos aqui a presença de juiz, de promotores e de todos os servidores para atender a comunidade” – resaltou o Loguini que encerra sua gestão no Tribunal de Justiça do Acre nesta sexta-feira (01).
 
A obra do Fórum será executada com recursos do Governo do Estado que vai gastar em torno de R$ 4 mi na construção. A Prefeitura doou o terreno onde o prédio será erguido nos próximos meses.
 
“Queremos agradecer a todos que contribuíram para a realização dessa obra tão importante para a população. Os cidadãos de nosso município clamavam pela presença da justiça mais perto e agora estamos contribuindo para que isso seja uma realidade” – disse o prefeito em exercício, Jailson Amorim.
 
Dejalcimar da Silva Rogério 

Add a comment (0)

Empresa Georadar e Prefeitura de Rodrigues Alves vão distribuir mudas de plantas raras para produtores

DSC01095
Espécies como Cedro, Pau Brasil e outras, que correm risco de extinção, serão fornecidas aos produtores rurais através da parceria com a empresa Georadar que trabalha na prospecção de petróleo na região. As mudas serão distribuídas em seis comunidades pelas secretarias de Agricultura e Meio Ambiente do município que terão a responsabilidade de acompanhar com assistência técnica o cultivo das plantas.

Servidores da empresa entregaram as mudas para a Prefeitura durante a manhã de quarta-feira (23). Um total de 4 mil mudas que foram produzidas pela empresa chegaram ao município e serão levadas para o plantio nas comunidades a partir da próxima semana.

As plantas são produzidas pela Georadar como forma de compensação ao impacto ambiental causado pelas atividades de prospecção desenvolvidas em Rodrigues Alves durante um período de dois anos. A empresa mantém em Cruzeiro do Sul um viveiro com várias espécies de plantas nativas, grande maioria já é considerada rara na Amazônia.

Para os produtores de Rodrigues Alves foram disponibilizadas 22 espécies entre madeira nobre e outras plantas nativas. O secretário de Meio Ambiente Ernilson Saraiva recebeu as mudas e será responsável, com o apoio do Secretário Roberto Pasmino de agricultura, pela seleção das famílias que serão contempladas.

“Nosso grande desafio é apoiar cada produtor que receber essas mudas para que ele possa cultivar da forma mais correta para que esse projeto tenha o objetivo alcançado. Porque não apenas entregar, é preciso um acompanhamento e para isso temos técnicos aqui no nosso município” – disse Saraiva.
 

Add a comment (0)

Trabalho e proximidade com a população serão as marcas da administração, diz prefeito Burica

Burica

Francisco Ernilson de Freitas, o Burica, 51 anos, tem um currículo inusitado. Ele foi agricultor, diarista, militar, funcionário da Petrobrás, garimpeiro e comerciante. Nascido na região começou a trabalhar aos 10 anos porque o pai havia contraído hanseníase. “De manhã na roça e à tarde na escola”, lembra o prefeito, que, como ele mesmo diz, tem “dificuldades com as letras”.

Depois de levar uma vida de “peão rodado”, Burica, com uma pequena quantia de dinheiro ganho no garimpo, instala-se na então Vila Rodrigues Alves, no ano de 1988. Monta um comércio, depois compra uma “colônha”, um “gadinho” e filho pródigo estava radicado novamente na cidade onde nascera.

 Se Burica tem dificuldades com o vernáculo, por outro lado ele é bom com os números. “Tudo que eu tenho foi conquistado antes de entrar na política”, enfatiza ele, dizendo que soube investir cada centavo de seu pequeno patrimônio. O prefeito diz que é vítima de “adversários desleais”, que o acusam de ilícitos e descaso com o município. “Cometi erros técnicos, mas graças a Deus sou um homem público honrado”, garante.

O último processo eleitoral, todavia, foi traumático para o prefeito. Candidato oficial do atual projeto de governo, com todas as “máquinas” nas mãos (das três esferas de poder), acabou derrotado pelo enrolado ex-prefeito Francisco Vagner Santana de Amorin, o Deda. O resto da história todos já conhecem: Deda teve a eleição cassada e Burica assumiu sob olhares desconfiados do PT e de parte da população.

Os erros administrativos e a força política dos opositores, por assim dizer, ofuscaram aquilo que foi marca na sua administração - as realizações. Senão, vejamos: asfaltamento de todas as ruas da cidade, construção de escolas, postos de saúde, hospital em parceria com governo, a prefeitura garantiu o terreno para a obra, compra de caminhões e apoio aos pequenos agricultores, serviços de infraestrutura, merenda escolar de qualidade, instalação de torres de telefonia e agências bancárias e construção de casas populares, além da implantação da internet no primeiro mês de sua administração. “Vamos instalar também o Ministério Público, um Fórum e uma agência do INSS”, acrescenta o prefeito.

Apesar da crise financeira e dos corte nos repasses constitucionais, Burica, que foi considerado um dos 100 melhores prefeitos do país (prêmio concedido pela Associação Nacional dos Prefeitos e Vice-prefeitos), sabe que a sua segunda gestão será muito cobrada. Ele, por sua vez, tem pretensões nada modestas: Quer ajudar a realizar o sonho da construção de uma ponte sobre o rio Juruá, que interligaria por terra o município, e testemunhar a descoberta e a consequente exploração de petróleo e gás natural na região.

Acompanhado pela mulher e do assessor de imprensa, Mazinho Rogério, ele conversou com a equipe do Voz Norte e concedeu a seguinte entrevista:

Voz do Norte – Por que o senhor foi considerado um bom prefeito e perdeu as eleições?

Burica – Discordo. Eu não perdi as eleições tanto é que sou o prefeito. Tínhamos três candidatos e eu cheguei ao final do pleito em segundo lugar? Não, sabe por quê? Porque só tinha dois candidatos aptos a concorrer, ou seja, o outro era irregular e isso só tumultuou o processo. Por causa de seus problemas com a Justiça, ele (Deda) foi banido da vida pública.

Voz do Norte – Mas o senhor admite que tem um certo desgaste? Por quê?

Burica – Ele é perfeitamente explicável. Recebemos um município totalmente falido, não tinha nada, prédios públicos com energia cortada, débitos com INSS, Eletroacre, servidores sem receber salário e a nossa administração foi muito atacada por adversários inescrupulosos; parte da população da zona rural ainda está vinculada a uma forma atrasada de fazer política e não tínhamos experiência administrativa, enfrentamos uma das maiores crises financeiras da história mundial; não soubemos utilizar o capital político da nossa gestão; e não tivemos uma boa divulgação das nossas realizações.

Voz do Norte – As principais expressões do PT, recentemente, reuniram-se em Rodrigues Alves. O aconteceu nesse encontro e o que o senhor espera de seu partido?

Burica – Fizemos uma avaliação das últimas eleições, onde analisamos as perdas e ganhos, e marcamos o nosso planejamento estratégico para os próximos quatros anos. O meu partido, o PT, através do Diretório Regional, vai dar orientação política e administrativa, além de fortalecer e consolidar as marcas do modo petista de governar.

Voz do Norte – Que marcas são essas?

Burica – A transparência, a responsabilidade fiscal, a inclusão social e participação popular. A minha administração será marcada por muito trabalho e proximidade com as pessoas, principalmente aquelas que residem na zona rural.

Voz do Norte – O senhor quer dizer mais alguma coisa?   

Burica – Quero, em primeiro lugar, agradecer a Deus. Depois aos amigos, eleitores, deputados e senadores, a minha família e especialmente ao governador Tião Viana. Eu herdei dívidas, enfrentei deslealdade, crises e um monte de outras coisas. A população não quer saber disso não.
Ela tá certa. Fomos eleitos para resolver os problemas, e não para ficar dando justificativas. Com a ajuda da população, vamos fazer uma das melhores administrações que o Acre já viu. É preciso mostrar que quando recebemos o município, Rodrigues Alves funcionava com uma Vila, pois o que temos funcionado hoje que beneficiam a população, não existia nada, além dos débitos e problemas herdados da administração anterior. Então, podemos avaliar que nossa administração foi vitoriosa, pois buscamos atender nossa população que com certeza tem hoje um atendimento de qualidade na saúde e na educação, além do grande apoio da prefeitura e do governo do Estado aos produtores rurais. Então, trabalhamos muito e vamos continuar trabalhando para melhorar a vida de população.

www.vozdonorte.com.br - Jorge Natal

Add a comment (2)