Tenente Carlos Filho é o novo delegado da 4ª Delegacia do Serviço Militar

O Primeiro Tenente Davi Paulino Carlos Filho é o novo delegado da 4ª Delegacia do Serviço Militar (DSM) de Cruzeiro do Sul, com jurisdição nos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, Tarauacá, Feijó, no Estado do Acre, além de Guajará e Eirunepé, no Amazonas e foi empossado pelo Tenente Coronel Licínio, Chefe da 31ª Circunscrição do Serviço Militar (31ª CSM), com sede em Porto Velho.

A cerimônia de transmissão do cargo ocorreu no dia 14 de Fevereiro, na Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, com a presença de autoridades – comandante do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (61º (BIS), Coronel Maurício Magioli, comandante do Destacamento da Aeronáutica, Tenente Cresp, dos vereadores Romário Tavares e Rocilda Sales e do Tenente Coronel Licínio, Chefe da 31ª CSM, que representou o Exército Brasileiro.

O Tenente Gobi, que estava na Chefia da 14ª JSM desde Agosto desde 2012, foi substituído e transferido para 8ª CSM, em Porto Alegre (RS). Na ocasião recebeu elogios pelos relevantes serviços prestados a frente da representação do Exército Brasileiro e recebeu o Troféu Eficiência das mãos do Tenente Coronel Licínio. Gobi tem mais de 35 anos de bons trabalhos ao Exército Brasileiro.

“O Tenente Gobi é um militar exemplar e exerceu suas funções em Cruzeiro do Sul, com nível de Excelência. Seu trabalho o credenciou para receber o Troféu Eficiência concedido aos que cumprem com sucesso suas missões”, destacou o Coronel Licínio, que coordena as seis Delegacias do Serviço Militar dos Estados do Acre, Rondônia e Sul do Amazonas.          

Emocionado o Tenente Gobi agradeceu o apoio das autoridades do município de Cruzeiro do Sul e dos funcionários da JSM que garantiram o bom desempenho de seu trabalho. “Estou muito grato por esta oportunidade de conviver com a sociedade cruzeirense que deu total apoio. Quero também agradecer a imprensa que colaborou e retorno com um sentimento de dever cumprido”, disse.

O novo delegado da 4ª DSM, Primeiro Tenente Davi Paulino Carlos Filho, parabenizou o Tenente Gobi que deixa o cargo e ressaltou que está muito honrado com a nomeação. “Fui coroado com mais essa missão, para mim vai ser uma honra desempenhar a função de Delegado do Serviço Militar que abrange municípios do Acre e do Amazonas e conto com o apoio dos funcionários e da sociedade”, disse.

O Tenente Coronel Licínio destacou que o Serviço Militar é um dever do cidadão e tem grande importância para a formação da Reserva Mobilizada e para compor os quarteis. A função da Delegacia de Cruzeiro do Sul é coordenar as oito Juntas do Serviço Militar nos Estados do Acre e Amazonas que fazem o alistamento para as três forças - Exército, Marinha e Aeronáutica.

“O alistamento militar é um momento de cidadania plena do jovem onde ele vai cumprir um dever constitucional junto à nação. Pena que é uma pequena parte dos alistados que são convocados. Nas Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica - o jovem aprende várias profissões e quando sai ele está muito capacitado para o mercado de trabalho”, afirmou.    

Add a comment (0)

Em Brasileia, nível do Rio Acre ultrapassa enchente histórica de 2012

Maria Meirelles

Segundo medição da Defesa Civil, o nível do Rio Acre em Brasileia atingiu a cota de 14,85 metros às 16 horas desta segunda-feira, 23, ultrapassando a marca da enchente histórica de 2012, com medição de 14,72 metros. Parte da telefonia móvel no município está comprometida.

O prédio da operadora Oi!, localizado no Centro da cidade, foi atingido pela enchente, interditando o serviço de internet na região. Nesta manhã, a prefeitura decretou estado de calamidade pública. A informação é de que 577 famílias já foram desalojadas e desabrigadas, atingindo cerca de 1.880 pessoas.

Deputada Leila Galvão está em Brasileia acompanhando os trabalhos (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Ao todo, 13 bairros foram atingidos diretamente pela enchente. Nesta tarde, a deputada estadual Leila Galvão percorreu as áreas alagadas com uma equipe do Corpo de Bombeiros. “A situação em Brasileia é realmente preocupante, mas o governo não tem medido esforços para minimizar os danos sofridos pela população”, destacou a parlamentar.

Em Epitaciolândia, a prefeitura viabilizou quatro abrigos públicos. A enchente desabrigou e desalojou 198 famílias. Uma sala de situação foi montada em Brasileia, na semana passada, para monitorar o nível das águas e coordenar as ações de assistência aos atingidos pela enchente.

A operação conta com o apoio de mais de 100 homens do Corpo de Bombeiros, 130 soldados do Exército, 92 policiais militares, 250 funcionários da prefeitura, voluntários e servidores públicos do governo do Estado.

Add a comment (0)

Jornalistas protestam contra prisão de repórter e abuso de policial civil durante carnaval

Jornalistas usaram mordaças negras em protesto. ( Foto: Onofre Brito)

A maioria dos jornalistas do município participou de um protesto, na tarde de quinta -feira (19), na frente da Delegacia Geral de Polícia. Eles estavam amordaçados com fitas pretas contra o abuso cometido por alguns policiais civis que prenderam arbitrariamente o cinegrafista José Wiles Carvalho Torres,30, no domingo de carnaval e ainda apagaram fotografias de um policial civil envolvido em uma confusão que estavam em seu equipamento.

O repórter Wiles foi abordado pelos policiais civis depois de fazer o registro de um policial civil detido no centro de triagem da Polícia Militar durante o carnaval. Uma equipe de três policiais civis foi buscar o policial civil e um deles não gostou do registro feito pelo jornalista e o encaminhou a Delegacia. Durante o trajeto o equipamento foi tomado e as imagens foram deletadas. Depois prenderam o jornalista numa das celas.

A jornalista Luciana Teixeira ressaltou a importância do trabalho da imprensa de Cruzeiro do Sul, que pode ser avaliada como parceira das policias Civil e Militar ao cobrar mais respeito com os jornalistas. “Ações truculentas como as praticadas contra nosso colega durante o carnaval nos desonra como profissionais da comunicação”, disse a jornalista da TV Gazeta.

O repórter Erisney Mesquita, da Rádio e TV Juruá, que também já sofreu abuso e ameaças no exercício da profissão, enfatizou que a imprensa de Cruzeiro do Sul, que é parceira das polícias, vem sofrendo vários abusos ao longo do tempo. “Passei um constrangimento dentro de uma delegacia. Não é fácil e não vamos permitir que este tipo de tratamento não fosse apurado e os responsáveis punidos”, disse.

O radialista Alexandre Gomes enfatizou que chamou atenção à situação da prisão do repórter José Wiles. “Enquanto muitas pessoas se embebedavam durante o carnaval quem foi preso foi um jornalista que estava no exercício de sua profissão que ainda teve as imagens de seu equipamento apagadas por um ato arbitrário e abusivo dos policiais civis”, disse.

O repórter Francisco Rocha (Chico Rocha), outro que também já sofreu constrangimento, lembra que alguns policiais abusam do poder e investem contra jornalistas que estão trabalhando e enfatizou que não é a primeira vez que profissionais da imprensa passam constrangimento e de abusos de policiais em Cruzeiro do Sul o que levou os jornalistas estarem solidários ao colega.

“O Sindicato dos Jornalistas do Acre (Sinjac) está presente e sempre vai combater esse tipo de procedimento. Jamais vamos baixar a cabeça para qualquer policial que venha abusar contra os jornalistas”, disse.

Segundo Chico Rocha a imprensa de Cruzeiro do Sul sempre trabalha em parceria com as Policiais Civil e Militar e não é admissível que ações abusivas de poucos policiais possa atrapalhar esse trabalho. “Não queremos deixar poucas pessoas venham atrapalhar essa parceria importante entra as polícias e a imprensa. Estamos unidos e queremos apenas respeito para realizar nosso trabalho”, afirmou.

O repórter cinematográfico Wiles, acompanhado do advogado Jonathan Donadoni, prestou depoimento ao delegado Elton Futigami, a pedido da Corregedoria da Polícia Civil que já acompanha o caso da prisão do jornalista que ficou preso, apenas de cueca, numa das celas da Delegacia por mais de oito horas.

“Tomaram meu equipamento e apagaram as fotos. Fui conduzido à delegacia por desacato. A única coisa que fiz foi registrar a ação da polícia em uma abordagem durante uma briga com foliões. Para a minha surpresa um dos envolvidos na confusão era um policial civil de folga e os outros me proibiram de registrar a ação e no trajeto para a Delegacia tomaram o equipamento e apagaram as fotos”, lembra Wiles.

O delegado responsável pela regional do Juruá, Elton Cristiano Futigami, conversou com os manifestantes e garantiu que os depoimentos colhidos a pedido da Corregedoria da Polícia Civil que determinou a apuração dos fatos e ressaltou ainda que, é contra todo e qualquer ato de repreensão ao exercício do direito a liberdade de expressão exercida pela mídia e desaprova a atitude do policial.

“Tomamos ciência da situação e imediatamente iniciamos o processo de apuração dos fatos. O policial Cleisson que estava de folga e foi detido pela Polícia Militar ao se envolver numa confusão durante o carnaval. A situação de abuso contra o jornalista será devidamente aprovado e se os policiais agiram de maneira arbitrária receberão sua sentença. Temos um grande respeito pelo trabalho da imprensa porque sempre tem trabalhado em parceria”, disse.

Add a comment (0)

Segurança será reforçada no período carnavalesco

Polícia Militar terá efetivo de 1.250 homens que irão trabalhar durante as cinco noites de Carnaval (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Por Marcelo Torres

Carnaval, época de alegrias e brincadeiras, muitos aproveitam para extravasar e tirar o estresse do dia a dia. Para garantir que o folião acreano tenha um período carnavalesco em paz e com segurança, o Sistema Integrado em Segurança Pública (Sisp) traçou um esquema envolvendo todos os órgãos e instituições. No total, 1.250 policiais militares, além de homens da Polícia Civil, Bombeiros e Detran, estarão nas ruas durante os dias de folia.

A Secretaria de Estado Segurança Pública (Sesp) visa manter a ordem e a segurança dos foliões, coibir e inibir qualquer ação delituosa nos locais onde serão realizados os eventos. Mesmo com essa operação de Carnaval, o policiamento nos demais locais não será prejudicado.

“Para a realização do esquema de segurança, por noite, irão trabalhar cerca de 250 policiais atendendo 37 pontos que farão o evento carnavalesco, com patrulhamento fixo dentro dos espaços de realização do evento e móvel, distribuídos no entorno dessas áreas”, explicou o comandante do policiamento ostensivo de Rio Branco, Marcos Kinpara.

Policiamento integrado

Todos os órgãos que envolvem a segurança pública estão empenhados em garantir a tranquilidade do folião (Foto: Alexandro Lima)

De acordo com o secretário adjunto de Polícia Civil, Alex Cavalcante, a Delegacia de Flagrantes (Defla) irá intensificar os trabalhos. “Iremos reforçar a central de flagrantes para que possamos recepcionar todas as ocorrências que porventura venham ocorrer nesse período”, destacou.

O comandante do Corpo de Bombeiros, Carlos Gundim, e o diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Gemil Júnior, garantiram manter o efetivo com homens do Corpo de Bombeiros em locais estratégicos, além das blitze Álcool Zero atuando de forma integrada com todo o Sistema de Segurança.

Segundo o secretário de Estado de Segurança Pública, Emylson Farias, o Carnaval ocorrendo de forma descentralizada não tem grande aglomerações de pessoas, evitando assim que muitas pessoas de bairros diferentes possam se encontrar e praticar violência.

“Queremos que esse seja o Carnaval da paz e da família, pois essa é a maior festa cultural do nosso país, e sendo realizado nos bairros faz com que as pessoas se unam ainda mais com sua comunidade e entre amigos. Nosso papel é garantir que todos tenham segurança e possam lembrar-se do Carnaval 2015 como um evento inesquecível”, acrescentou o secretário de Segurança.

Add a comment (0)