Estudantes de Agronomia de Cruzeiro do Sul estudam o solo da BR-364

Atividade é parte integrante da disciplina Gênese, Morfologia e Uso do Solo - Foto: Cedida

Estudantes do 3º período do curso de Engenharia Agronômica da Universidade Federal do Acre (Ufac), campus de Cruzeiro do Sul, farão uma excursão ao longo da BR-364, trecho de Cruzeiro do Sul a Rio Branco, no fim deste mês, no intuito de estudar os perfis do solo da região.

A atividade é parte integrante da disciplina Gênese, Morfologia e Uso do Solo, ministrada pelo professor Edson Araújo, doutor em solos e nutrição de plantas pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).

De acordo com a estudante Lilia Ferreira do Nascimento, do 10º período do curso de Engenharia Agronômica do campus Floresta e monitora da referida disciplina, “a excursão reveste-se de suma importância, uma vez que dará oportunidade aos alunos de conhecer a diversidade de uma matéria-prima sobre a qual nós todos iremos nos debruçar depois de formados”.

Para Sebastião dos Santos Pereira, estudante do 7º período de Engenharia Florestal no campus Floresta e que também já foi monitor da disciplina, “esse tipo de atividade auxilia os futuros profissionais no sentido de indicarem aos proprietários rurais o melhor uso e o respectivo manejo da sua área, no que diz respeito ao solo, de maneira sustentável”.

“Em 2010 aconteceu uma reunião de correlação e classificação de solos, empreendida por especialistas de várias universidades brasileiras, que estudaram ‘in loco’ esses perfis. Agora, o que nós faremos é trazer os alunos para visitar os locais onde os especialistas passaram, enfatizando aspectos relativos à classificação, gênese e ao uso dos solos da região. É uma atividade de fundamental importância para a formação dos futuros profissionais”, explicou o professor Edson Araújo.

Assessoria Ufac

Add a comment (0)

Unidade do Senac em Cruzeiro do Sul realiza semana de enfermagem

Senac 1

Sandro de Brito    Fotos: Adriana Herman

Com sucesso de público, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - Senac - unidade de Cruzeiro do Sul- realizou em parceria com a Universidade Federal do Acre - UFAC e Conselho Regional de Enfermagem - COREN, a 1ª Semana da Enfermagem ocorrida entre os dias 13 e 16 de maio, com oferta de mini cursos ligados às áreas de primeiros socorros, legislação e ética trabalhista.  

Dentre os cursos ofertados inclui-se acidentes ofídicos com participação de 120 alunos, dengue e intervenções de enfermagem frente à sintomatologia e prevenção, com participação efetiva de 95 alunos e por fim dois cursos também ligados à área de saúde que foi o de cálculo de medicação e legislação em enfermagem com participação de mais de 200 alunos.

A supervisora do Eixo Tecnológico de Ambiente e Saúde da unidade do Senac Cruzeiro do Sul, Adriana Herman, ressalta a importância da parceria na realização do evento. “O objetivo principal é fortalecer laços de parcerias com instituições de saúde e de educação como é o caso da UFAC daqui do município. A semana trouxe várias abordagens sobre saúde bem como a oferta de vários mini cursos que proporcionaram um enriquecimento do conhecimento aos alunos, espero que todos tenham tirado proveito de tudo o que foi dito e disponibilizado acerca das informações e do conhecimento”, conclui Herman.

A semana de enfermagem contou com apoio da diretora regional do Senac, Hirlete Meireles, que ressaltou a importância da realização do evento. “Nós entendemos que a realização de eventos com essa envergadura proporciona um ganho maior para o setor de saúde. Trabalhamos em conjunto com toda equipe do Senac. As parcerias foram de fundamental importância para realização desse evento e são através das parcerias que podemos ampliar, ainda mais, os nossos atendimentos”, destaca Hirlete.

   

Add a comment (0)

Entrevista: Secretário Municipal de Educação de Rodrigues Alves, professor Manoel Orleilson “Sem Educação não podemos ter uma cidade desenvolvida”

Orleilson

O secretário de Educação do município de Rodrigues Alves, professor Manoel Orleilson da Silva, inicia seu segundo ano à frente da gestão da educação do município onde nasceu comemorando conquistas que garantiram grande melhoria na qualidade da educação, aumento de cerca de 47% de recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e a valorização dos professores beneficiados com aumento salarial de 32% que equiparou os salários aos pagos pelo governo do Estado.

Formado na área da Educação o professor Manoel Orleilson tem experiência na Educação Básica e Superior, mas antes de aceitar o convite para ser secretário de Educação da sua terra natal, trabalhava como consultor técnico do MEC, com experiência de mais de 15 anos na área de planejamento e organização educacional, trabalhou na Secretaria de Estado de Educação do Acre na gestão do secretário e governador Binho Marques, além também ter exercido funções na Secretaria de Estado de Educação e prefeituras de Alagoas.

“Nasci em Rodrigues Alves, grande parte da minha família mora aqui e me sinto muito alegre de ter a oportunidade de colocar em prática o que aprendi na academia, na experiência do MEC e dos outros lugares onde trabalhei, podendo fazer acontecer o que acredito na minha cidade e contribuir para que os alunos tenham um bom aprendizado e a educação contribua para a melhoria da qualidade de vida das pessoas de Rodrigues Alves. Sem Educação não podemos ter uma cidade desenvolvida”, disse.

O secretário Manoel Orleilson recebeu a reportagem do Voz do Norte na Secretaria Municipal de Educação, onde concedeu a entrevista abaixo:

Voz do Norte – Na sua avaliação como está a situação atual da educação no município de Rodrigues Alves?

Prof. Orleilson – Com certeza iniciamos melhor do que em 2013. Um erro no censo de 2012 causou grande prejuízo aos recursos do Fundeb. O financiamento educacional se dá por conta da quantidade de alunos. Em 2012 houve um problema no senso e foram cadastrados apenas 3.019 alunos, mas na verdade o município atendia mais de 4.600 alunos, segundo dados oficiais do Ministério da Educação (MEC) e com certeza tivemos que fazer um trabalho muito sério para garantir o funcionamento das escolas pela redução de cerca de 47% dos recursos.

Voz do Norte – Resolvidos esses problemas o ano de 2014 promete ser o ano da Educação em Rodrigues Alves?

Prof. Orleilson – Em 2013 conseguimos regularizar a situação cadastral e entramos 2014 com uma situação bem diferenciada para melhor com o financiamento pelo Fundeb garantido pela quantidade correta de alunos da educação infantil (creches e pré-escola), de 1º ao 5º ano, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e alunos da Educação de Tempo Integral a partir do Programa Mais Educação.

Voz do Norte – O prefeito Burica deu um aumento de 32% para os professores do município de Rodrigues Alves, como isso foi possível?

Prof. Orleilson - O aumento do Fundeb foi substancial e garantiu a decisão do prefeito Burica de valorizar e aumentar o salário dos professores em 32% que ficou equiparado ao salário do Estado, Hoje, não existe diferença de salário entre um professor especialista do Governo do Estado e da Prefeitura de Rodrigues Alves o que significa um grande avanço e nos preparamos para desafios que vão garantir grandes melhorias. Esse aumento é inédito na educação do Acre e mostra a disposição do prefeito Burica em valorizar a classe.

Voz do Norte – Com está a situação da infraestrutura da rede municipal de ensino de Rodrigues Alves?

Prof. Orleilson – Com todas as dificuldades causadas pela diminuição dos recursos ainda conseguimos em parceria com a comunidade construir duas escolas que beneficiaram o Ramal dos Esquecidos, que agora está lembrado, como diz o prefeito, onde existiam mais de 60 pessoas que estavam sem acesso à educação e tinham que se deslocar da comunidade para estudar. Agora, a escola funciona nos três turnos e no Ramal dos Esquecidos foram matriculados mais de 60 alunos. A outra escola foi construída na Pucalpa 2 que atende quase 100 alunos nos três turnos, inclusive em 2014 está funcionando a educação integral. Mesmo com a falta de recursos foi um avanço construir estas duas escolas.

Voz do Norte – Existem mais projetos para melhorar a rede municipal de ensino?

Prof. Orleilson – Com certeza em 2014, com recursos do PAR, temos garantido a construção de uma creche escola modelo padrão do MEC, duas quadras cobertas e duas creches em alvenaria nas comunidades Nova Cintra e Foz do Paraná. Na zona urbana vamos reformar todas as escolas, o ginásio coberto e ampliar com mais duas salas de aula a Escola Júlia Maria, além da escola José Saraiva de Freitas, na comunidade Profeta. Garantimos o aumento salarial dos professores e com todo esforço estamos um padrão mínimo de estrutura para que o professor possa dar aula e o aluno possa aprender, além de fazer um pacto de gestão pela melhoria da qualidade de ensino no município.

Voz do Norte – O que será esse pacto, que foi proposto pelo prefeito Burica aos professores e também ao secretário de Educação?

Prof. Orleilson - A meta principal desse pacto é sair de um Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 3,7%, o terceiro pior do Acre, para trabalhar na perspectiva de que em 2015 ser o melhor do Estado. É um desafio de todo o município – prefeitura, Câmara Municipal, sindicatos, Conselho Municipal de Educação – mas principalmente das escolas e dos professores. Não adianta estabelecer uma meta de melhoria da aprendizagem se não houver trabalhado e discutido o desafio com os professores.

Voz do Norte – Na sua avaliação os professores de Rodrigues Alves estão motivados para esse desafio?

Prof. Orleilson – Com certeza, nossa avaliação é que os professores de Rodrigues Alves já são muito competentes e colocamos essa meta porque sabemos que podemos conseguir e temos que mudar o conceito do município. Essa meta é possível de ser conseguida porque o prefeito Burica está valorizando os professores, como podemos verificar com o aumento inédito de salário concedido pelo município, estamos fazendo bem feito as ações na área da educação, garantindo estrutura adequada e entendo que melhorando o padrão de aprendizagem vamos conseguir realizar esse desafio feito pelo prefeito aos professores.

Voz do Norte – Como está a situação da educação na zona rural?

Prof. Orleilson – O prefeito Burica determina que o mesmo tratamento dado às escolas da zona urbana seja dado as da zona rural e não posso tratar de forma diferenciada os professores porque lá as condições são mais difíceis. Por isso temos garantido o aperfeiçoamento e formação a todos os professores e coordenadores da área rural porque entendemos que a população está confiando na escola pública do município porque não vemos alunos saindo de Rodrigues Alves para estudar em outro município e isso é uma conquista dos professores e da própria escola.

Voz do Norte - Quais as novidades para 2014?

Prof. Orleilson – Entendo que não dá para o aluno aprender numa escola que não tenha proposta pedagógica, regimento interno, processo de planejamento pedagógico, parceria com a comunidade e numa secretaria que não tenha padrão de aprendizagem e proposta curricular. Não posso cobrar das escolas o que a secretaria não oferece. Por isso, estamos em processo de finalização da proposta curricular da educação infantil, diretrizes curriculares para professores de creches e pré-escolas, proposta curricular para os primeiros anos da educação fundamental e de Jovens e Adultos (EJA) tanto na zona urbana como rural. Em 2014 fizemos uma parceria com o Ministério da Educação e já fizemos adesão ao processo de Educação Profissionalizante, através do Pronatec e a partir de agora os alunos do EJA além da alfabetização terão qualificação profissional que possibilitará a diminuição nos próximos dois anos de indicadores que apontam para 32% de analfabetos no município.

Voz do Norte – Como está a questão da merenda escolar?

Prof. Orleilson – Na verdade sofremos muito por conta da diminuição dos recursos. Em 2013 não atendemos como gostaríamos, mas este ano por conta de termos conseguido regularizar o censo teremos muitos recursos disponíveis para a merenda escolar, além do que o prefeito Burica garante o investimento dos recursos do FNDE na compra de merenda escolar e ainda dá contrapartida de cerca de 25% do valor. Creio que em 2014 merenda escolar para educação infantil, alunos de tempo integral e EJA não vai ser problema em Rodrigues Alves, pois avalio que a merenda escolar tem muito a ver com o bom funcionamento das escolas.

Voz do Norte – As escolas de Rodrigues Alves estavam inadimplentes como MEC e não recebiam recursos. Como está a situação atual e qual a importância destes recursos para o desenvolvimento do município?

Prof. Orleilson – Infelizmente as escolas de Rodrigues Alves ficaram por mais de 10 inadimplentes junto ao MEC e não tinham recursos para comprar material pedagógico e garantir melhor qualidade da educação. Tenho uma boa experiência como técnico consultor do MEC junto ao FNDE onde trabalhava antes de ser secretário e em 2013 conseguimos regularizar a situação de 25 escolas que receberam na sua própria conta cerca de R$ 1 milhão que foram investidos nos programas PDDE-Mais Educação, Sensibilidade, Atleta da Escola, Campo e Educação Básica. Teve escola que recebeu quase R$ 100 mil. Agora. Em 2014 esperamos um aumento desse valor para cada escola, além do que 45 escolas já estão regularizadas e poderão executar o projeto da presidenta Dilma Roussef que vai melhorar a qualidade da água nas escolas. Até 2015 queremos ter poço artesiano em todas as escolas do município.

Add a comment (0)

Senac realiza ações extensivas em aldeia indígena Katukina

Senac 2

Sandro de Brito

Objetivo proporcionar aos alunos a vivencia pratica da disciplina proposta pela escola.

Mais de 50 alunos do Senac dos cursos de enfermagem e cabeleireiro realizaram ações extensivas, na última quinta feira, 03 de abril, na aldeia Indígena Katukina, em Cruzeiro do Sul. As ações fazem parte do cronograma de disciplina da instituição e tem objetivo de proporcionar aos alunos a prática da disciplina proposta pela escola.

Testes de HIV, Sífilis, Glicemia, aferição de pressão arterial, foram alguns procedimentos em saúde ofertados na aldeia, além da realização de palestra sobre boas praticas de saúde bucal, hipertensão e diabetes e peça teatral destinada a crianças da aldeia. Cerca de 150 indígenas receberam cortes de cabelos, não deixando de preservar a cultura e modo tradicional. Todas as ações foram supervisionadas pela instrutora de saúde indígena, Damiana Avelino e pela supervisora técnica de saúde Adriana Herman.

“Para nós as ações tem importância muito grande, não somente para quem esta recebendo o atendimento, mas também para os nossos alunos que podem colocar em pratica tudo o que aprenderam dentro do ambiente escolar”, destacou Izaú Melo, gerente da unidade do Senac em Cruzeiro do Sul.

Adriana Herman, supervisora técnica de saúde afirma que “a realização desses atendimentos, tanto no segmento de saúde quanto no segmento de beleza nos deixa muito satisfeito por ver nossos alunos atuando com excelência”.

A diretora regional do Senac Acre, Hirlete Meireles, destaca que “as ações extensivas devem seguir alinhadas com todo contexto pedagógico dos cursos e proporciona aos alunos uma mostra do ambiente de trabalho no qual será inserido; portanto está diretamente relacionada com a formação de um bom profissional e isso é o que a instituição tem buscado”.

Fotos: Adriana Herman

Add a comment (0)