Parceria entre UnB e governo do Estado forma estudantes no Juruá

Flaviano Schneider

A Universidade Aberta de Brasília (UAB) promoveu no último sábado, 13, em sua sede a formatura de dez estudantes no polo de Cruzeiro do Sul. São quatro bacharéis em Administração Pública, quatro concluíram licenciatura em Música e dois em Teatro. Foi a sexta turma de formandos desde que se iniciou a parceria entre a Universidade de Brasília (UnB) e o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (SEE).

“Esta formatura vai contribuir para o ensino na região e fortalecer a administração Pública”, comentou Charles André Rosas, gerente do Núcleo Regional da SEE.

Quatro dos formandos já encontraram seu espaço no mercado de trabalho.

A coordenadora do Centro de Educação Permanente, onde funcionam os cursos da UAB, Helenilda Maia de Araújo, conta que ainda neste ano mais 18 alunos estarão se formando em Administração Pública.

O coordenador do curso de Administração Pública à distância da UnB, Luiz Fernando Bessa, representou no ato o reitor da UnB, Ivan Camargo. Bessa comenta que é uma grande honra a UnB estar presente no Acre, em Cruzeiro do Suln e anunciou mais um curso de especialização em Gestão Pública a partir do ano que vem. “O ensino a distância é sempre um grande desafio, mas esta formatura mostra que tudo está indo muito bem”, disse.

O formando Alberto Loro (segundo da esquerad para a direita) é músico profissional há anos, mas assim mesmo considerou uma “sensação maravilhosa” a obtenção do diploma.

Agência de Notícias do Acre

Add a comment (0)

Professores do Campus Floresta aderem a greve nacional e paralisam atividades

Depois de uma assembleia os professores do corpo docente do Campus Floresta, da Universidade Federal do Acre (UFAC) aderiram a greve nacional iniciada na sexta-feira (29) proposta pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES) para reivindicar direitos da classe que não estão sendo cumpridos pelo governo Federal.

O professor Estênio Falcão explicou que a greve foi aderida pelo corpo docente depois da realização de uma assembleia e tem como diretriz principal lutar pela qualidade da universidade pública, a defesa do caráter pública em vista de um corte recente que aconteceu nos recursos e atingiu as universidades.

“ Depois de uma assembléia decidimos aderir a essa greve que acontece a nível nacional e reivindica o cumprimento de vários pontos prioritários para universidade pública. Os professores estão definindo as pautas e serviços essenciais para universidade conseguir atender a comunidade e a greve se mantém por tempo indeterminado, enquanto não houver uma negociação por parte do governo para atender as reivindicações”, disse.

Com a adesão dos professores a greve nacional as aulas no Campus Florestas estão suspensas prejudicando mais de 1.500 acadêmicos dos diversos cursos de graduação nas áreas de Pedagogia, Letras Inglês e Espanhol, Engenharia Agronômica e Florestal, Enfermagem e Ciência Biológicas, entre outros.

Add a comment (0)

Abertura do Educacenso e entrega de kits marcaram o Dia da Educação

Ocorreu nesta sexta-feira, 29, no Núcleo da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (NSEE), em Cruzeiro do Sul, a abertura oficial do Educacenso, o principal banco de dados da educação no país, com a presença do coordenador estadual, Justino Queiroz.

Professores são orientados para o correto preenchimento dos formulários (Foto: Onofre Brito)

Realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais (Inep), juntamente com as secretarias estaduais e municipais e as escolas, o Educacenso vai apontar com base na quantidade de alunos os recursos que virão via Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Plano Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

O coordenador do NSEE, Charles André Rosas, explica que as escolas são orientadas para o correto preenchimento dos formulários: “Não queremos deixar nenhum aluno de fora para que as escolas não percam recursos”, frisou.

Kits

 

Kits no valor de quase R$ 1 milhão para escolas rurais (Foto: Onofre Brito)

Também foram entregues kits no valor de quase R$ 1 milhão para escolas rurais. Foram 22 kits de laboratório de Ciências, 42 kits de jogos pedagógicos de matemática, kits do programa Asas da Florestania, além de 22 kits de internet banda larga.

Para a professora Angelina Medeiros da Escola Visconde do Rio Branco, a internet nas escolas do interior vai facilitar a vida de professores e alunos. Ela explica que muitas vezes os professores tinham que levar demandas para casa e os alunos tinham dificuldades para fazer pesquisas.

Add a comment (0)

Projeto ambiental da Escola Valério Caldas de Magalhães retira lixo e entulhos do Igarapé Preto

Projeto ambiental da Escola Valério Caldas retira lixo e entulhos do Igarapé Preto

Elson Costa

Cerca de 80 alunos, professores e servidores da Escola Valério Caldas de Magalhães realizaram na manhã de sábado (11) um mutirão de limpeza na área do balneário Igarapé Preto de onde retiraram uma grande quantidade de lixo e entulhos que estavam na areia frequentada pelos banhistas e nos arredores. A área dos quiosques recebeu limpeza e pintura de cal nas árvores e calçadas. Depois da limpeza os estudantes colocaram lixeiras feitas com material reciclado.

Diretora Rosa Lebre comemora resultados com grande conscientização dos alunos

A diretora Rosa Lebre informou que a atividade faz parte de um projeto desenvolvido há vários anos pela escola para conscientizar os alunos sobre os cuidados necessários com o meio ambiente. São realizadas palestras com o apoio de profissionais do IMAC e outros órgãos que trabalham com o meio ambiente e depois é realizada a parte prática em campo para que os alunos possam dar sua contribuição e desenvolver o aprendizado.

Alunos, professores e servidores participaram da limpeza da área do Igarapé Preto

“O resultado do projeto é muito bom. Observamos essa conscientização na nossa própria escola que já agora tem um ambiente muito limpo, os alunos não jogam mais papel de bombom e nenhum outro tipo de lixo no chão e sempre utilizam lixeiras fazendo que o ambiente escolar fique muito mais bonito. O envolvimento dos alunos, professores e servidores dá uma grande satisfação e eles se sentem muito felizes com os resultados”, disse.

 

A diretora destaca que a escola é sua segunda casa e desenvolve um trabalho com muito amor e total dedicação na solução dos problemas. “É uma escola voltada para o Ensino de Jovens de Adultos (EJA) que atende aqueles alunos que por algum motivo não conseguiram concluir os estudos na idade certa. Ficamos muito felizes quando vemos no final do ano nossos alunos aprovados na seleção para a Universidade Federal do Acre (UFAC)”, disse.

Estudantes e professores limparam, pintaram, colocaram placas e vasos de lixo feito com material reciclado

Rosa Lebre informou que além da limpeza e retirada do lixo os alunos colocaram na área 10 lixeiras feitas com material reciclado (vasos plásticos de água descartados) e 18 placas de conscientização, além de toalhas plásticas coloridas nas barracas de venda para humanizar mais o local de trabalho dos vendedores. “Esperamos que os vendedores gostem e nossa intenção e retornar depois de 15 dias para avaliar o resultado do trabalho”, ressaltou.

A diretora agradeceu aos parceiros dos projetos da escola – Papelaria Grafites e Super Econômico – e também os professores e funcionários que sempre participam das atividades da escola contribuindo com algum tipo de material e destacou que na atividade realizada no Igarapé Preto o Chefe do Setor de Limpeza da Prefeitura de Cruzeiro do Sul, Sérgio, forneceu os sacos de lixo e o cal utilizado na pintura das árvores.

Numa grande animação os estudantes juntaram todo tipo de lixo jogado na área frequentada pelos banhistas e no entorno do igarapé. Foram recolhidas garrafas pets, sacos, plásticos, copos descartáveis, absorventes, garrafas de vidro de diversos tipos de bebidas, além de sandálias. Depois os estudantes pregaram vasos de lixo confeccionados com material reciclado e placas de conscientização.

O aluno Gelson parabeniza a direção da escola pelo projeto de conscientização dos alunos para os cuidados necessários com o meio ambiente. “É uma iniciativa exemplar da escola. O primeiro ambiente que foi mudado foi dentro da nossa própria escola. O Igarapé Preto, por exemplo, é uma área muito frequentada pela população e pela quantidade de lixo recolhido vemos que está sendo necessário que todos possam cuidar mais”, disse.

A aluna Elisângela conta que já desenvolve o aprendizado na sua própria casa ensinando seus filhos para que tenham cuidados com o meio ambiente e não joguem nenhum tipo de lixo no chão. “O primeiro resultado é que conseguimos um ambiente muito limpo na nossa escola. Quando chupo uma bala e não tem um vaso de lixo perto coloco o plástico dentro da minha bolsa. Lá em casa os meninos já assimilaram e me sinto feliz em participar dessa ação”, disse.

A professora Cíntia Almeida, que trabalha na Valério Caldas desde 2013, destaca que o projeto é realizado há vários anos desenvolvendo atividades dentro da escola e no centro da cidade. Neste ano uma das áreas escolhidas foi o Igarapé Preto, um local onde todas as pessoas que visitam Cruzeiro do Sul sempre querem conhecer e está precisando de mais cuidados pela grande quantidade de lixo recolhido.

“O meio ambiente faz parte da nossa vida e precisamos preservá-lo para contribuir com a melhoria da vida. Nossa escola já desenvolve esse projeto há muito tempo e participo desde 2013, quando cheguei à escola. Temos realizado esse trabalho no centro da cidade e sempre procuramos inovar. Essa é uma área muito frequentada e com as ações procuramos conscientizar mais nossos alunos para os cuidados com o meio ambiente”, disse.

A aluna Adrieli Silva desfilava na área verde chupando um delicioso pirulito. Questionada pela reportagem onde tinha jogado o plástico ela mostrou que estava dentro da bolsa e lamentou a grande quantidade de lixo acumulada na área do Igarapé Preto. A estudante entende que a população precisa ter uma consciência maior, mais cuidados com o meio ambiente e colaborar para que o principal ponto turístico do município seja melhor preservado.

“Na nossa escola os alunos não jogam mais papel de bombom e nenhuma sujeira no chão. Agora, nossa escola está sempre limpa, pois os alunos já se conscientizaram que não devem jogar no chão papéis de bombons ou qualquer outra coisa que agrida o meio ambiente. Esse é um projeto de muita importância para nós e quero parabenizar a diretora Rosa e todos os professores pelos importantes ensinamentos que estamos recebendo”, disse.

A aluna Nelcilene Xavier, que mora nas proximidades do Igarapé Preto, avalia que está sendo necessária uma mudança e um trabalho de conscientização dos moradores da área e também da população que utiliza o Igarapé Preto que tem deixado uma grande quantidade de lixo jogada por toda a área, causando uma impressão muito ruim e problemas ao meio ambiente porque com a chuva leva o plástico e as sujeiras para dentro do leito do igarapé.

“Se todos da comunidade e a população que frequenta o Igarapé observarem o que a escola está fazendo vai ficar muito melhor. Foram colocadas lixeiras e placas de conscientização e a quantidade de lixo recolhido mostra que realmente a população precisa cuidar mais do ambiente que utiliza. Esses plásticos jogados no chão vão para dentro do igarapé e prejudica muitos moradores do local que inclusive utilizam a água para beber”, afirmou.

A professora Geanini, que é carioca, avalia como de grande importância o desenvolvimento do projeto que tem conquistado resultados importantes na conscientização sobre os cuidados com o meio ambiente. “Nossos alunos já assimilaram o ensinamento. O resultado é maravilhoso e a escola mobiliza os alunos para serem cidadãos de bem e contribuir com a melhoria da qualidade de vida e cuidar do meio ambiente no município”, disse.

O coordenador do EJA, professor Evair Oliveira, acompanhou a atividade dos alunos no Igarapé Preto e ao parabenizar o projeto desenvolvido pela Escola Valério Caldas de Magalhães que além de garantir uma educação de muita qualidade desenvolve atividades fora da escola que contribuem para uma interação dos alunos com a sociedade e ações que mostrem na prática o aprendizado.

Coordenador de Educação do Estado no Juruá, Charles Andre, com a assessora de Comunicação, Janaira Bezerra prestigiou a atividade e garantiu apoio

O coordenador de Educação do Estado no Juruá, professor Charles André, prestigiou a atividade no Igarapé Preto e parabenizou professores e a direção da Escola Valério Caldas de Magalhães, que trabalha com quase mil alunos do EJA e inicia o ano letivo realizando um importante projeto ambiental para ensinar os alunos e fazer um alerta a comunidade sobre a importância da conservação do meio ambiente.

“É uma iniciativa muito positiva e um exemplo que é possível melhorar o conhecimento dos alunos. O trabalho dentro da escola, de construção do conhecimento e da aprendizagem com os livros e a parte teórica, se concretiza com a prática. A escola é uma referência no atendimento a esses jovens e toma a iniciativa de conscientizá-los da necessidade dos cuidados com o meio ambiente e também de alertar a população e o poder público que precisam cuidar do mais importante ponto turístico do município que está abandonado”, disse.

Add a comment (0)