Professores da rede estadual mantem greve e fecham Coordenação de Educação de Cruzeiro do Sul

greve educação portão

Em assembleia na manhã desta sexta-feira (05) professores da rede estadual de ensino decidiram manter a greve e também fechar o Núcleo da Coordenação de Educação em Cruzeiro do Sul, localizado no prédio onde funcionava a antiga Escola Craveiro Costa.

Os trabalhadores em educação repudiaram a decisão do governo do Estado que anunciou a retirada das pautas da mesa de negociação e garantem que a greve continua por tempo indeterminado, mesmo com o prejuízo para o ano letivo.

O presidente do Núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), professor Valdenísio Martins, afirmou que a decisão do secretário Daniel Zen deixou os trabalhadores insatisfeitos com a retirada das pautas da mesa de negociação.

“Nossa greve entra no seu décimo segundo dia e nesta manhã deliberamos mais um passo decidindo fechar o Núcleo da Coordenação de Educação, porque as pessoas que ali trabalham também são servidores da educação, professores e funcionários de apoio”, disse.

Segundo Valdenísio Martins, além do aumento de salários, o movimento reivindica a melhoria das condições de trabalho e a autonomia para que os servidores possam exercer suas funções com mais qualidade e dar um resultado melhor à educação.

“As propostas apresentadas pelo governo só contemplam benefícios para 2014. Esperamos que o governo possa voltar atrás e fazer uma negociação para que os benefícios sejam implantados em 2013. Senão sinalizar vamos permanecer em greve até novembro de 2013, a não ser que o governo repense sua posição e atenda as necessidades da categoria”, disse.

O presidente destacou que o movimento grevista sempre prejudica o ano letivo e os alunos das escolas, mas muitas escolas do município, como a Escola Braz de Aguiar, ainda não começaram o ano letivo, por falta de planejamento da Secretaria de Educação que garantiu encontrar uma forma de resolver o problema. “Então, vão ter que encontrar um jeito para atender as reivindicações da categoria para que o movimento grevista seja suspenso”, disse.

Valdenísio garantiu que no Núcleo da Coordenação de Educação serão mantidos alguns trabalhos considerados essenciais e agradeceu a solidariedade dos trabalhadores de educação que entenderam a necessidade de paralisar as atividades do órgão em prol das reivindicações e melhorias solicitadas pelo Sinteac ao governo do Estado.

O coordenador em exercício do Núcleo da Coordenação de Educação de Cruzeiro do Sul, professor Amarízio Saraiva, destacou o respeito ao movimento grevista e informou que o governo está sempre a disposição para a negociação, dentro de sua possibilidades, porque nem trabalhadores nem o Estado querem que aconteça a greve.

“É preciso um entendimento de que o Brasil vive momentos de dificuldade o que acarreta problemas para os Estados. No ano passado o Estado perdeu R$ 300 milhões em sua receita e em 2012 o valor já chega a R$ 100 milhões, dinheiro que poderia estar sendo investido na melhoria da qualidade do salário dos servidores”, disse.

Amarízio lembrou que nos dois primeiros anos de sua gestão o governador Tião Viana deu um aumento linear de 20% para todos os servidores, com 5% de aumento real a cada seis meses. Em 2013 a queda dos repasses causa um grande problema para que o Estado possa honrar o pagamento de todos os servidores.

“A proposta do Estado está sendo analisada pelo Sinteac que ainda não chegou a um consenso, mas o Núcleo de Cruzeiro do Sul está sempre de portas abertas para dar sua contribuição. Esperamos que essa greve termine o mais rápido possível para que a comunidade escolar possa voltar a sua normalidade”, disse.

O coordenador destacou que o Acre estava em 27º lugar na educação no país e agora já está entre os cinco no ranking da educação brasileira, lembrando os grandes investimentos feitos na construção de modernas escolas, formação de professores em nível superior e a melhoria da estrutura de trabalho, além de aumento de salário para os trabalhadores que nos governos da Frente Popular recebem seu salário rigorosamente em dia.

“Quando se chega a um determinado patamar para se crescer visivelmente é mais difícil sendo necessário manter para não deixar cair a qualidade. Esperamos que a crise passe o mais rápido possível e que o Acre possa voltar a receber recursos suficientes para garantir dias melhores para o setor educacional. Não é um questão de querer ou não dar o aumento, é uma situação do Estado”, disse.

 

Add a comment (0)

Trabalhadores da educação Estadual entram em greve em Cruzeiro do Sul

Numa Assembleia Geral realizada no auditório do Núcleo da Secretaria de Estado de Educação, na terça feira (26), os professores e trabalhadores em educação de Cruzeiro do Sul decidiram acompanhar a decisão estadual e entraram em greve por tempo indeterminado, até que o governo do Estado apresente uma proposta satisfatória de negociação salarial para a classe.

O presidente do Núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), professor Valdenízio Martins, afirmou que a categoria aderiu ao movimento que está acontecendo em Rio Branco porque este é um dos piores momentos para os trabalhadores em educação, principalmente quando se refere ao valor do salário.

“Tivemos um início de ano letivo conturbado por conta de um concurso público cheio de problemas atrasando o início das aulas. Temos problemas de seguranças nas escolas, falta de merenda escolar, falta de pagamento aos servidores, problemas com o transporte escolar e com reformas de escolas, que ainda não foram concluídas”, disse.

Segundo Valdenizio o Sinteac reivindica do governo do Estado a reformulação do Plano de Carreira dos servidores, concurso público permanente para professores e servidores de apoio, equiparação salarial de professores provisórios com os permanentes, criação de uma comissão para cuidar da saúde do trabalhador e o reajuste de 15% para toda a categoria.

A paralisação que iniciou nesta quarta-feira deixa mais de 1.800 alunos sem aulas em Cruzeiro do Sul e os sindicalistas acompanham as rodadas de negociação na capital e marcaram um novo encontro nesta quinta-feira para discutir as propostas apresentadas pelo governo.

Da redação com informações do G1

Add a comment (0)

Secretaria Estadual de Educação e Polícia Militar fortalecem parceria através do Programa Escola Segura

A Coordenação do Núcleo Estadual da Secretaria de Educação e Esportes (SEE) realiza parceria com a Polícia Militar, através do Programa Escola Segura, para a realização de palestras de prevenção de drogas por policiais militares nas 48 escolas da zona rural do município de Cruzeiro do Sul.

O programa já existe há cinco anos como parte do policiamento escolar, desenvolvido pela Polícia Militar nas escolas da zona urbana e o coordenador do Núcleo, professor Zequinha Lima, destaca que a objetivo da parceria é garantir um ambiente escolar mais seguro e para trazer paz ao ambiente escolar e melhores condições de estudo.

“O trabalho dos policiais militares tem surtido efeitos muito positivos nas escolas da zona urbana e a partir de agora serão levados as escolas da zona rural com objetivo de conscientizar os alunos sobre os perigos e riscos que são causados pelas das drogas e bebida alcoólica”, disse.

O Policiamento Escolar é feito pelos sargentos PM Cristóvão e Silva Lima que fazem um trabalho preventivo com palestras para alunos e familiares com o objetivo de conscientizar para os perigos do envolvimento dos estudantes com as drogas. O trabalho será estendido às escolas da zona rural onde gestores temem permanecer no local por falta de segurança.

“Nossa preocupação é com o alto índice de armas brancas que tem sido encontrado com os estudantes, além do envolvimento com as drogas e a intenção do policiamento das escolas é diminuir o índice da violência entre os próprios alunos, pois a maioria das brigas acontece por problemas que acontecem fora da escola”, disse o sargento Cristóvão.

Add a comment (0)

Alunos são premiados por bom desempenho escolar

Rubiluci Almeida (Setor de Comunicação e Eventos do NSEE).

 “É muito difícil, ser aluno cinco estrelas, mas com a ajuda dos professores e o compromisso de estudar muito, não é impossível”, disse o aluno Davi Araújo Vieira, do 4º ano, durante a cerimônia de premiação dos alunos cinco estrelas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental da escola São José, que aconteceu na quinta-feira, (13), no pátio da escola.

Segundo a diretora da escola, Sernízia Araújo Correia, mais do que ganhar medalhas, a ação é um reconhecimento pela dedicação e empenho de cada estudante. “ O aluno que se empenha e se dedica merece ser reconhecido e dessa maneira serve de exemplo para os colegas que vão querer se empenhar também para ter uma boa atuação escolar e receber a premiação”, salientou a gestora.

A professora do 4º ano, Glória Rufino, destaca que a aprendizagem dos alunos é resultado do trabalho de toda uma equipe. “Essa premiação é motivo de orgulho, pela comprovação da aprendizagem de nossos alunos, fruto do trabalho incansável e empenho de todos os professores, da dedicação de cada funcionário, do envolvimento dos pais na educação de seus filhos”, disse.

Essa premiação é uma interessante forma de incentivar os alunos a buscar melhores notas e se sobressaírem nas avaliações externas. “Sendo reconhecidos pelo desempenho dá mais vontade de estudar, de superar nossos limites, de mostrar o que aprendemos e sabemos”, disse Rúbia Layra, aluna do 5º ano na escola.

 

O evento contou com a participação dos policiais militares, sargentos Cristovão e Antonio Silva, que atuam no Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) nas escolas públicas e particulares de Cruzeiro do Sul. “Nosso trabalho busca transmitir uma mensagem de valorização à vida e da importância de manter-se longe das drogas e da violência, almejando uma sociedade melhor para todas essas crianças e adolescentes”, avaliou o sargento Antônio Silva.

Criado por volta de 2005 a 2006, o sistema de premiação surgiu de uma das ações do PDE que visa reconhecer e valorizar o bom desempenho do estudante a partir da avaliação das notas ao longo dos bimestres, alcançando e indo muito mais além da média de qualidade (7.0).

“Sinto-me feliz e recompensado por essa iniciativa. Esse é um incentivo não só para os alunos, mas para os pais a se comprometerem mais e acompanhar o desempenho de seus filhos buscando maior proximidade com a escola”, avaliou o Sargento Cristóvão, também pai de aluno contemplado.

 

 

Add a comment (0)