Jorge Viana reforça pedido para recuperação das BRs 317 e 364

Senador contestou críticos da ferrovia Bioceânica e apresentou requerimento de pedido de informações sobre andamento dos estudos para empreendimento

 O senador Jorge Viana fez um discurso na tribuna do Senado reforçando o pedido do governador Tião Viana junto ao governo federal para intensificação do trabalho de recuperação e reconstrução de trechos das BRs 317 e 364 no Acre, que estão sob responsabilidade da União.

O senador, que já manteve neste ano duas audiências com o ministro Antônio Carlos Rodrigues (Transportes) e chefes do DNIT, disse que todos os parlamentares precisam estar em atuação conjunta com o governo do estado para que as obras avancem. Jorge Viana pediu uma atenção especial no trecho que ele considera como um dos mais críticos, de cerca de 400 quilômetros, entre Sena Madureira e o Rio Liberdade.

“Recentemente fiz uma viagem de carro de Rio Branco até Feijó e Tarauacá, e sei que um trabalho de recuperação já está em andamento, fruto do trabalho do governo do Estado e também de nossa bancada federal na qual me incluo. Mas vi que o trabalho precisa ser intensificado, precisamos da reconstrução de trechos que foram muito danificados por esse período excessivamente chuvoso que o Acre enfrentou”, declarou Viana.

O mesmo precisa ser feito na BR-317, no trecho de Xapuri, Brasiléia e Assis Brasil, defende  o senador. De acordo com ele, o momento ideal para esse reforço é até o mês de outubro, quando não há chuvas na região.

Ferrovia

Em seu discurso, Jorge Viana também fez referência à ferrovia bioceânica que propõe a interligação do litoral brasileiro, no Atlântico, ao litoral peruano, no Pacífico, atravessando a região amazônica, e contestou os críticos ao projeto. Segundo ele, existe uma “ação disfarçada” para minar a iniciativa, que também conta com o interesse da China.

“Os grupos econômicos que funcionam em volta do porto de Paranaguá (PR), de Santos (SP), do porto em Belém (PA), não só são contra a ferrovia como trabalham para sabotá-la. Porque eles querem que toda a produção agropecuária do Centro-Oeste saia por seus portos. É por interesse econômico”, afirmou.

Para Viana, o debate seria mais “honesto” se os grupos críticos ao projeto admitissem suas intenções em vez de insistir na impossibilidade da construção. O senador garante que a ferrovia tem viabilidade estrutural e poderá contar com investimentos chineses.

Em maio deste ano, a presidenta Dilma Rousseff assinou o Memorando de Entendimento Brasil-China-Peru para iniciar os estudos de viabilidade da Ferrovia e definir o melhor traçado. O senador afirmou que no próximo mês de agosto, estará no Peru tratando com autoridades do país sobre este assunto.

Ainda sobre a ferrovia, Jorge Viana apresentou um requerimento ao Ministro de Estado de Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, pedindo informações sobre todos os passos que estão sendo dados relativos a essa obra. “Como senador do Acre, senador da Amazônia, sinto-me no dever e na obrigação de manter a população do meu Estado informada”.

Add a comment (0)

Plano Municipal de Educação é apresentado em audiência pública em Cruzeiro do Sul

A Secretaria Municipal de Educação de Cruzeiro do Sul realizou audiência pública no Instituto Santa Teresinha, na manhã desta terça-feira (09), para discutir e avaliar o Plano Municipal de Educação (PME) que foi elaborado para ser implementado nos próximos 10 anos e conforme determinação do Ministério da Educação e Cultura (MEC) deve ser avaliado pela comunidade para depois seguir para a Câmara Municipal.

O secretário municipal de Educação, professor Ivo Galvão, destacou que a audiência pública se faz necessária para a apresentação, análise e sugestões ao Plano que enumera cerca de 20 metas que devem ser cumpridas em 10 anos e também apresenta as estratégias para o cumprimento conforme determina a Lei Federal no 13.005 de 25 de Junho de 2014 que instituiu o mesmo.

O PME abrange não somente a educação municipal de ensino, mas deve estabelecer metas para o Ensino Médio e para a Educação Superior e deve ser realizado num diálogo com os responsáveis por estes níveis de escolarização. Uma das razões da importância da construção do PME é a continuidade da implementação de políticas públicas no setor independente da descontinuidade de convênios municipais.

O prefeito em exercício, Mazinho Santiago, prestigiou a audiência pública e destacou como de grande importância para a educação do município sua realização para que a população dê sugestões para que seja encaminhado à Câmara Municipal para sua aprovação se tornando uma política de governo, dentro do prazo estabelecido pelo MEC.

“As três esferas de poder - Federal, Estadual e municipal - juntas podem solucionar os problemas da educação no Brasil. O país só vai conseguir se desenvolver se sua população tiver um ensino de muita qualidade. Senão for através da educação não tem saída para resolver os graves problemas enfrentados pela nossa população que na sua maioria vive nos municípios”, disse.

O coordenador da Secretaria de Educação do Estado, professor Charles André, destacou que o PME significa um grande avanço para as políticas de consolidação da educação no município e o Estado participou do planejamento e da elaboração do plano contribuindo com sugestões e ideias que na audiência serão debatidos pela comunidade e profissionais da educação.

“Nesta audiência pública será apresentado o que já foi discutido para receber sugestões. Estamos participando para dar nossa contribuição como Estado e também para fazer a pactuação do que cabe ao município, ao Estado e ao governo Federal. É um debate importante e tudo que está sendo discutido será transformado em lei e em políticas públicas. A educação é uma área prazerosa que dá o rumo certo ao cidadão”, disse.

O secretário municipal de Educação, Ivo Galvão, destacou que os desafios propostos no PME são de melhorar as condições de o aprendizado na Educação Infantil, Ensino Médio e Superior, além de melhorar a formação de quadros técnicos, ampliar as vagas e atender de uma forma mais eficiente às pessoas que moram na zona rural e interior do município que ainda estão muito dispersas.

“O grande desafio é elevar a educação no campo e aumentar a escolaridade da população e o número de alunos na zona rural. Estamos orientando esta população para que passem a formar povoados porque não temos como fazer escolas para dois ou três alunos. Na zona urbana já temos grandes avanços e o ensino superior, tanto na graduação, quando pós-graduação são desafios que precisam ser expandidos”, disse.

Ivo Galvão destacou a proposta do vice-prefeito Mazinho Santiago de escola em tempo integral ao afirmar que o município já tem 10 escolas funcionando nesse sistema sendo necessário garantir mais recursos para a recuperação e reforma de escolas para ampliar essa cobertura. “A educação em tempo integral é uma realidade na rede municipal e Estadual, é uma experiência que tem dado muito certo e que enriquece o currículo, leva cultura e fortalece os vínculos entre a escola, família e comunidade”, afirmou.

O presidente do Núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), professor Valdenísio Martins, destacou a importância da discussão do PME e sua aprovação, parabenizando o trabalho da Secretaria Municipal de Educação que vem se esforçando para implementar melhorias e mais qualidade ao ensino nas escolas e garantir um aprendizado cada vez melhor.

“Esta discussão tem uma importância muito grande para garantir políticas públicas de mais qualidade na educação, ainda é necessário muito esforço para melhorar o ensino, apesar dos grandes avanços comprovados na qualidade, mas ainda é necessário haver mais transparência na aplicação dos recursos, que não são poucos, apesar da crise, principalmente quando avaliamos a remuneração do professor que poderia ser melhor, pois ele é o principal ator deste processo”, disse.

Add a comment (0)