1º Simpósio de Agroecologia do Acre começa domingo

Embrapa 40 anos

 

A Agroecologia na Amazônia Ocidental: desafios e perspectivas para o futuro. Esse é o tema do 1º Simpósio de Agroecologia do Acre, que começa no domingo (10), no Teatro dos Náuas, em Cruzeiro do Sul. A programação segue até dia quarta-feira, dia 13 de março com palestras, mesas-redondas e sessão científica.

Também serão realizados dozes mini-cursos no campus Floresta, além de visitas técnicas em áreas de produtores rurais. Participam do evento agricultores assentados da Reforma Agrária, extensionistas, estudantes e outros profissionais

 Segundo o professor da Ufac, Elizio Frade Junior, o principal objetivo do evento é incentivar a adoção de práticas agroecológicas entre os agricultores do Acre. “Vamos discutir sobre as atuais ações em Agroecologia desenvolvidas no estado e esperamos aproximar instituições e agricultores que tenham experiências com Agroecologia e desenvolvimento sustentável”, afirma.

 O evento é realizado pela Ufac (Campus Floresta), Instituto Nacional de Colonização Agrária (Incra/AC), Embrapa Acre, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, veiculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifac) e pelas empresas Ciga e Consulplan, contratadas pelo Incra para prestar assistência técnica a 7,5 mil familias de 62 projetos de Reforma Agrária, localizados em 16 municípios do Acre.

 Agroecologia

A agroecologia é uma ciência que segue princípios ecológicos básicos e ao mesmo tempo produtivos, economicamente viáveis, que preservem o meio ambiente e que sejam socialmente justos.

A Embrapa trará para o simpósio o pesquisador Alfredo Kingo Oyama Homma da Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA), que fará a palestra de abertura, com o tema “Agroecologia na Amazônia: Desafios e perspectivas para o futuro” e também o pesquisador, Carlos Alberto Medeiros, da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), coordenador do projeto “Transição Agroecológica: construção participativa do conhecimento para a sustentabilidade”, que integra 25 unidades da empresa e outras 29 instituições, dentre associações e cooperativas de agricultores, universidades, órgãos de assistência técnica e institutos de pesquisa.

Medeiros irá falar sobre agroecologia e extensão rural. Também participa do evento o pesquisador da Embrapa Hortaliças (Brasília, DF), Ronessa Bartolomeu de Souza, que ministrará um minicurso sobre técnica de produção para olericultura agroecológica na Amazônia. 

 Estarão também presentes no evento pesquisadores da Ufac, Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), assim como, do Centro Agronômico Tropical de Pesquisa e Ensino (Catie) da Costa Rica e Centro para la Investigación en Sistemas Sostenibles de Producción Agropecuária (CIPAV) da Colômbia.

O Simpósio integra as ações de um projeto de pesquisa sobre agroecologia, executado, desde 2009, no Vale do Juruá pelo Incra e Ufac, com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O Programa de Assessoria Técnica, Social e Ambiental (Ates) à Reforma Agrária do Incra levará 130 produtores e 70 técnicos da região para participarem do evento.

Segundo o engenheiro agrônomo do Incra, Márcio Alécio, o Simpósio visa capacitar assentados e técnicos e discutir experiências aplicáveis às propriedades da agricultura familiar do Acre. “Ao retorno do evento, cada produtor capacitado receberá atendimento diferenciado para implantar as técnicas abordadas durante o Simpósio, para que se torne referência para sua região”, afirma. (Texto: Priscila Viudes DRT 030/MS – Embrapa Acre)

Informações:

Hugo Kern: (68) 9969-1838

Entrevistas: Professor Elizio Frade (68) 3311-2515 (68) 9968 7606  (68) 81188277

Priscila Viudes

Add a comment (0)

Doação de mudas de plantas agita população de Cruzeiro do Sul

Sedens doação mudas 1

Mais de 40 mil mudas foram entregues nesta segunda-feira em Cruzeiro do Sul

 O governo do Estado, através da secretaria de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens), realizou a distribuição de mudas de plantas frutíferas e florestais em Cruzeiro do Sul nesta segunda-feira, 25.

Em menos de três horas mais de 40 mil mudas foram doadas para produtores rurais, representantes de cooperativas, associaçõe, e instituições como Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac), Universidade Federal do Acre (Ufac), Instituto Federal de Educação do Acre (Ifac) e Ministério Público Estadual.

 

Foram distribuídas gratuitamente mudas de árvores nativas como: jatobá, copaíba, seringueira, amarelão, paricá e mogno que servirão principalmente para plantio de manejo e reposição de áreas desmatadas, mas a preferência ficou mesmo entre as mudas de árvores frutíferas, ingá de metro, cacau, açaí solteiro, pupunha , cupuaçu, goiabeira, buriti.

O promotor do Meio Ambiente, Wendy Takao, participou da entrega das mudas  e se colocou como parceiro da ação, se comprometendo em fazer um levantamento das pessoas que foram multadas, para se encaminhar a sede da Sedens, em Cruzeiro do Sul, para adquirir mudas de plantas de origem florestais para reposição das áreas desmatadas.

 

“Nossa intenção é fortalecer o cultivo de plantas frutíferas, e que os produtores possam formar verdadeiros pomares”, disse o secretário Edvaldo Magalhães

 

A representante do Ifac, professora Liliane Martins, disse durante o evento que o Instituto irá propor uma parceria com a secretaria para a criação de um viveiro, que será mantido pela instituição. Professor da Ufac, Augusto Nage, também esteve presente,  elogiou a iniciativa do governo do Estado e disse que o  trabalho de distribuição de mudas será de  grande valia para toda a comunidade.

De acordo com o secretário da Sedens, Edvaldo Magalhães, o viveiro de Rio Branco tem cerca de 500 mil mudas prontas para o plantio. “Nossa intenção é fortalecer o cultivo de plantas frutíferas, e  que os produtores possam formar verdadeiros pomares, assim  vamos possibilitar a geração de emprego e renda através do cultivo e extração de poupas de frutas com grande valor comercial. Quanto as mudas de origem florestal vamos  além de distribuir gratuitamente, estaremos possibilitando aquelas pessoas que tiveram multas por desmate ilegal , adquirir as mudas e sanar sua situação com a justiça, enfim queremos o melhor pra todos”, finalizou.

Agência de Notícias do Acre - Chico Melo (Assessoria Sedens) - Fotos: Assessoria Sedens

Add a comment (0)

Inscrições abertas para 1º Simpósio de Agroecologia do Acre

simposio a e b

Durante os dias 10 a 13 de março, será realizado o primeiro Simpósio de Agroecologia do Acre, na Universidade Federal do Acre (Ufac), campus Floresta, em Cruzeiro do Sul. As inscrições estão abertas e os interessados que se inscreverem até o dia 15 de fevereiro terão desconto. Participam do evento agricultores assentados da Reforma Agrária, extensionistas, estudantes e outros profissionais

Com o tema “A Agroecologia na Amazônia Ocidental: desafios e perspectivas para o futuro”, serão realizadas palestras, mesas-redondas, doze minicursos, visitas técnicas, além de sessão científica com apresentação de trabalhos acadêmicos. Segundo o professor da Ufac, Elizio Frade Junior, o principal objetivo do evento é incentivar a adoção de práticas agroecológicas entre os agricultores do Acre. “Vamos discutir sobre as atuais ações em Agroecologia desenvolvidas no estado e esperamos aproximar instituições e agricultores que tenham experiências com Agroecologia e desenvolvimento sustentável”, afirma.

O evento é realizado pela Ufac (Campus Floresta), Instituto Nacional de Colonização Agrária (Incra/AC), Embrapa Acre, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, veiculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifac) e pelas empresas Ciga e Consulplan, contratadas pelo Incra para prestar assistência técnica a 7,5 mil familias de 62 projetos de Reforma Agrária, localizados em 16 municípios do Acre.

Agroecologia

A agroecologia é uma ciência que segue princípios ecológicos básicos e ao mesmo tempo produtivos, economicamente viáveis, que preservem o meio ambiente e que sejam socialmente justos.

A Embrapa trará para o simpósio o pesquisador Alfredo Kingo Oyama Homma da Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA), que fará a palestra de abertura, com o tema “Agroecologia na Amazônia: Desafios e perspectivas para o futuro” e também o pesquisador, Carlos Alberto Medeiros, da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), coordenador do projeto “Transição Agroecológica: construção participativa do conhecimento para a sustentabilidade”, que integra 25 unidades da empresa e outras 29 instituições, dentre associações e cooperativas de agricultores, universidades, órgãos de assistência técnica e institutos de pesquisa.

Medeiros irá falar sobre agroecologia e extensão rural. Também participa do evento o pesquisador da Embrapa Hortaliças (Brasília, DF), Ronessa Bartolomeu de Souza, que ministrará um minicurso sobre técnica de produção para olericultura agroecológica na Amazônia. 

Estarão também presentes no evento pesquisadores da Ufac, Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), assim como, do Centro Agronômico Tropical de Pesquisa e Ensino (Catie) da Costa Rica e Centro para la Investigación en Sistemas Sostenibles de Producción Agropecuária (CIPAV) da Colômbia.

O Simpósio integra as ações de um projeto de pesquisa sobre agroecologia, executado, desde 2009, no Vale do Juruá pelo Incra e Ufac, com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O Programa de Assessoria Técnica, Social e Ambiental (Ates) à Reforma Agrária do Incra levará 130 produtores e 70 técnicos da região para participarem do evento.

Segundo o engenheiro agrônomo do Incra, Márcio Alécio, o Simpósio visa capacitar assentados e técnicos e discutir experiências aplicáveis às propriedades da agricultura familiar do Acre. “Ao retorno do evento, cada produtor capacitado receberá atendimento diferenciado para implantar as técnicas abordadas durante o Simpósio, para que se torne referência para sua região”, afirma. (Texto: Priscila Viudes DRT 030/MS – Embrapa Acre)

Serviço

Simpósio Internacional de Agroecologia do Acre

Investimento até dia 15 de fevereiro: estudantes R$ 30,00, demais interessados R$ 50,00.

Informações e inscrições: www.simposioagroecologia.org

Vagas limitadas

Priscila Viudes – Núcleo de Comunicação Organizacional
Embrapa Acre (CPAF-AC)

 

 

Add a comment (0)

Combate a caça ilegal em terras indígenas

Caça 1

 Na última semana de janeiro, em uma ação articulada entre a Coordenação Regional do Juruá (FUNAI) e Polícia Federal visando o combate à caça ilegal na Terra Indígena Kampa do Rio Amônia, localizada próxima ao município de Marechal Thaumaturgo - AC, foram apreendidas armas, barco, caça e animais vivos, bem como foram autuados caçadores não-indígenas.

 

Esta ação foi planejada após denúncias de lideranças indígenas de que grande número de caçadores vinham invadindo constantemente tanto a área de reserva indígena quanto a área da Reserva Extrativista do Alto Juruá. Conforme informado por lideranças indígenas locais, o número de caçadores vem crescendo bastante na região, por vezes ameaçando os moradores caso tentem barrar a entrada.

 

A ação destes caçadores vinha sendo monitorada desde a saída do município, no entanto, a equipe da PF e FUNAI só os localizaram quando já se encontravam retornando ao município, quando foram pegos em flagrante.

 

Também, no município, foi cumprido mandado de busca e apreensão em casa de um morador local, suspeito de cooperar com caçadores e estocar tanto animais abatidos quanto vivos em sua casa. Porém, não foram encontrados nenhuma prova no local. No entanto, segundo informes da FUNAI, as investigações continuarão até que se desarticule completamente este grupo, bastante conhecido na região como responsáveis por um grande número de crimes ambientais.

Fonte: CRJuruá/ CZS/ AC

Add a comment (0)