Vizinha encontra recém-nascido dentro de uma privada

bebe

Imagem ilustrativa

Um bebê - menina - foi encontrado jogado dentro de uma privada numa residência no bairro do Aeroporto Velho, na manhã deste domingo (28) por uma vizinha que ouviu um choro e ao verificar encontrou a criança que estava com o corpo cheio de tapurus e foi jogada no local pela própria mãe depois do parto, mas quando foi encontrada ainda estava com vida.

Os primeiros socorros foram prestados pelos profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) que conduziram a criança Hospital da Mulher e da Criança, por volta das 10:30 horas, onde recebeu os primeiros socorros e passa bem. A mãe da criança, que ainda não teve o nome revelado, também foi levada posteriormente para a maternidade pelo Samu, acompanhada por uma equipe da Policia Militar.

O gerente de enfermagem do Hospital da Mulher e da Criança, onde funciona a maternidade, enfermeiro Fernando Rossi, informou que a bebê apresentava no momento da chegada uma hipotermia e bradipnéia, que é a diminuição dos movimentos respiratórios, e leve cianose, sendo levada imediatamente para sala de emergência de cuidados com recém-nascidos.

“Imediatamente foram feitos os procedimentos para permeabilizar as vias aéreas e melhorar a freqüência respiratória, foi feito o grampeamento do cordão umbilical e aquecimento da menina, administração de vitamina B e uma avaliação pelo pediatra de plantão, Dr. Jorge Luiz. Quando ela chegou estava com tapurus por todo o corpo devido ao local onde foi encontrada”, disse o enfermeiro.

Segundo Fernando Rossi, depois dos primeiros socorros a criança foi encaminhada à Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) por medida preventiva porque o parto foi realizado em local e horário desconhecido de forma natural, mas o pediatra informou que sua respiração é boa e foi colocada na incubadora apenas para ficar aquecida e a mãe está na enfermaria recebendo cuidados médicos.

“Pela idade gestacional levantada pelo médico tudo indica que a mãe teve uma normal, e a criança não apresentou nenhum tipo de anomalia. A acompanhante explicou que no período noturno ela sentiu algumas dores abdominais, que pode ter sido as contrações uterinas e por várias vezes foi até o banheiro. Mas, como se deu a evolução dessa gestação deve ser investigado para que os fatos sejam esclarecidos”, disse.

O caso foi encaminhado para o Conselho Tutelar e a Promotoria da Infância e da Juventude e o destino da criança deverá ser determinado pela Justiça. “Depois de prestar os primeiros socorros e garantir a estabilização da saúde da criança o serviço de Assistência Social tomou as medidas cabíveis passando o caso para as autoridades competentes”, informou.

Powered by Bullraider.com