Dengue: Cruzeiro do Sul sai do índice de epidemia, mas cuidados e ações precisam ser mantidos

Denguemuana-combate-contra-dengue

A queda do número de casos de dengue em Cruzeiro do Sul, que enfrentou desde o mês de Agosto do ano passado uma grande epidemia da doença, que afetou a maior parte da população chegando ao registro de mais de 2.600 casos por semana está diminuindo gradativamente. A Coordenação do Setor de Entomologia informa que o município sai da situação de epidemia com registro de apenas 300 casos na semana anterior.

Segundo a Muana Araújo, coordenadora do Setor de Entomologia da Secretaria Municipal de Saúde, a redução dos casos de dengue é resultado dos esforços da equipe em parceria com outras instituições que executaram com muita eficiência o plano de ação para o combate a doença que está apresentando significativa diminuição do número de casos.

“ Avaliamos que as ações realizadas surtiram o efeito planejado, ao ressaltar que o período de inverno também contribuiu porque comprovamos que as enxurradas provocadas pelas chuvas, lavam os terrenos e acabam eliminando muitos criadouros do mosquito”, afirmou a coordenadora.

Na penúltima semana do mês de março, considerada a de número 10 do ano de 2015, as unidades de saúde registraram um total de 231 notificações de pacientes que apresentaram os sintomas da doença e buscaram os postos de saúde. “ Isso significa que nem todos podem ter contraído a dengue, pois, só depois da realização dos exames é possível saber se, entre esses pacientes,  algum estava com outro tipo doença”, disse.

Muana garante que com essa média semanal, o município sai da situação de emergência, já que o Ministério da Saúde considera que, para esta condição, os municípios com menos 100 mil habitantes apresentem um total acima de 300 casos por semana e orientar que mesmo com os resultados considerados satisfatórios é preciso a população manter os cuidados e os órgãos ações de combate ao mosquito.

“ Vamos manter todos os trabalhos preventivos e de combate a doença para garantir que os números continuem baixando e principalmente evitar que possam voltar a subir novamente. Conclamamos à população para manter toda vigilância em suas casas e seus quintais para que não tenhamos novamente números alarmantes, como tivemos nos meses anteriores” – finalizou a coordenadora.

Powered by Bullraider.com