Deracre e Ciretran implantam quebra molas na Variante e alerta que imprudências e excesso de velocidade são maiores causas dos acidentes com vítima fatal

Detran 3

“Um grande número de acidentes são imprudência pura”, Valdeci Dantas

O governo do Estado, através da 1ª Ciretran e do Deracre, iniciou nesta semana a implantação de redutores de velocidades (quebra-molas) para atender reivindicação da comunidade que reside ao longo da Variante de acesso à BR-364 que realizou recentemente manifestação reclamando do perigo causado pela alta velocidade dos veículos no trecho onde residem várias família.

O gerente da 1ª Ciretran, sargento Valdeci Dantas, destacou que a implantação dos redutores de velocidade na Variante atende um clamor da comunidade que reclamava muito do excesso de velocidade dos veículos, inclusive fazendo uma manifestação e a engenheira do Detran e o gerente do Deracre, responsável pelo trecho, decidiram implantar os redutores para garantir mais segurança à população que mora ao longo do trecho.

Segundo Valdeci Dantas a 1ª Ciretran adiantou a implantação das placas de sinalização de indicação nos locais de construção dos quebra molas para alertar os condutores e o Deracre já realizou a construção da primeira quantidade que agora serão avaliados e caso necessite vai ser aumentada a quantidade para que se consiga diminuir a velocidade dos veículos no trecho e evitar problemas para a comunidade.

“Geralmente a 1ª Ciretran coloca as placas um pouco antes da implantação dos redutores para que os condutores, na circulação diária, possam se familiarizar e ter esse prazo de adaptação. Os condutores precisam de atenção para a implantação das placas de que existe um redutor de velocidade para evitar acidentes. Os redutores são construídos de acordo com a legislação que tem critérios técnicos de altura e dimensão”, enfatizou.

Cuidados ao trafegar na BR-364

Valdeci Dantas destaca a grande conquista da construção da BR-364 pelo governo do Estado que tem garantido o acesso permanente de diversos tipos de veículo a capital e aos demais municípios durante todo o ano, mas faz um alerta aos condutores para a necessidade de se trafegar com responsabilidade ao enfatizar que a imprudência e o excesso de velocidade são os causadores da grande maioria dos acidentes, inclusive levando a mortes que poderiam ser evitadas.

“Infelizmente todos os anos temos perdido vidas na BR-364 em acidentes com proporções desastrosas. Nossa recomendação é a prudência, estamos vivendo uma nova realidade com a possibilidade de se deslocar até Rio Branco e aos demais municípios e orientamos que os condutores dirijam seus veículos com consciência, usando a direção defensiva, respeitando a sinalização e não devem andar com excesso de velocidade”, disse.

Para o gerente da Ciretran trafegar na BR-364 ou em outra rodovia com uma velocidade de 150, 160, 180 ou até maior é uma grande irresponsabilidade e falta de consciência de um condutor e alerta que este tipo de pressa é uma ação muito perigosa sendo necessário se ter consciência de limites e entender que determinada atitude pode tirar sua própria vida e a de pedestres que  transitam nas vias públicas.

“Tenho absoluta certeza de que quando conseguirmos conscientizar os condutores de que é preciso dirigir defensivamente e de forma prudente e os pedestres e ciclistas que precisam estar atentos, evitando procedimentos que podem acarretar acidentes, vamos melhorar os índices. Os acidentes apenas com danos materiais são reparáveis, mas aqueles que ceifam vidas não tem como reparar e um grande número de acidentes são imprudência pura”, disse.

Ao destacar a redução de 67% no número de acidentes com vítimas fatais nos primeiros meses de 2014, com referência ao mesmo período do ano passado, Valdeci Dantas comemora e ressalta que a Ciretran já iniciou o trabalho de educação no trânsito nas escolas que tem meta de alcançar todas as instituições de ensino sendo necessário o cidadão se associar ao pensamento do governo e do Detran para que se tenha um trânsito de mais paz.

Parceria com o Judiciário 

A parceria com o Poder Judiciário é lembrada pelo gerente da 1ª Ciretran que parabeniza a Juíza de Direito Ana Paula Saboia, da Vara Criminal, que iniciou no mês de Janeiro um mutirão para julgar os condutores flagrados dirigindo seus veículos sob efeito de álcool e acatou uma sugestão da Ciretran para que os sentenciados além de cumprir a pena alternativa participem de uma palestra educativa na Ciretran. 

Valdeci finaliza informando sobre a implantação de um memorial às vítimas do trânsito que vai ser implantado com apoio do Poder Judiciário e de empresários e colocado em caráter definitivo num local de grande visibilidade à população do município para despertar sobre o problema e mostrar um placar dos acidentes e das circunstâncias que aconteceram. 

“São conquistas da sociedade, precisamos alertar a todos que acidente de trânsito não trazem benefícios para ninguém, pois deixa órfãos, famílias sem seus provedores, mata pai, mãe, filho e amigos e estamos trabalhando para a sociedade despertar. Não adianta o governo desenvolver o trabalho sério que está fazendo se a comunidade não entender e se tornar a grande parceira da luta para se reduzir o número de acidentes e de vítimas fatais”, disse. 

Add a comment (0)

Motociclista é atropelado e morre quando empurrava sua moto na Variante da BR-364

Morrido

O motociclista Francisco Gomes de Azevedo, 25, foi atropelado na noite de sábado (29) por um carro ainda não identificado, quando empurrava sua moto no KM 4 da Variante da BR-364 e foi atingido pelo veículo cujo motorista fugiu sem prestar socorro.

O atropelamento aconteceu por volta das 23:30 horas e a vítima trafegava no sentido Rodrigues Alves/Cruzeiro do Sul. A Polícia Civil investiga o caso para tentar identificar o veículo que segundo testemunhas que estavam perto atingiu a vítima violentamente.

Segundo informações de um irmão da vítima um amigo teria escondido a chave da motocicleta porque Francisco teria ingerido bebida alcoólica numa festa que acontecia nas proximidades, mas ele decidiu voltar para casa empurrando a moto.

Testemunhas que passavam pelo local afirmam que ouviram o barulho do impacto do choque e em seguida viram um carro preto parado alguns metros do local. Segundo as informações o motorista desceu do carro, mas se evadiu em seguida em alta velocidade.

Add a comment (0)

Corregedor Geral do Detran/AC ministra palestra para condutores flagrados dirigindo sob efeito de bebida alcoólica

Detran 2

O Corregedor Geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AC), advogado Fábio Eduardo Ferreira, ministrou a palestra Trânsito: Princípios Éticos e de Cidadania à condutores flagrados dirigindo sob efeito de álcool, penalizados pelo Judiciário a participar de palestras inclusivas e atividades da 1ª Ciretran como forma de conseguir os benefícios da Lei do Juizado Especial que garante a extinção do processo criminal.

A palestra foi realizada no auditório da 1ª Ciretran de Cruzeiro do Sul, na noite de sexta-feira (07), com a presença da Juíza de Direito da 1ª Vara Criminal, Ana Paula Saboya Lima, que destacou a importância das penalidades na reabilitação e reeducação dos condutores flagrados nas Operações Álcool Zero que ganharam uma oportunidade de consertar o erro e evitar a cassação da sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Na palestra o corregedor destacou vários aspectos do trânsito ao ressaltar que é um problema complexo dos condutores de qualquer tipo de veículo que individualmente precisam fazer sua parte e cumprir as determinações da legislação para garantir sua integridade física e dos demais atores que precisam se respeitar porque o direito de um vai até onde começa o do outro.

“No trânsito todos temos direitos e deveres e os condutores brasileiros precisam urgente modificar suas atitudes para diminuir o grande número de acidentes que mata mais de 50 mil pessoas a cada ano. Vocês estão participando desse trabalho do Judiciário e da 1ª Ciretran porque deixaram de cumprir a legislação na parte que proíbe o uso de bebida alcoólica na direção de veículo automotor”, disse o corregedor.

Fábio lembrou aos participantes que a peça mais importante do trânsito é a que fica atrás do volante, o motorista ou condutor de outro tipo de veículo, que precisa ter um desempenho satisfatório e dirigir defensivamente para evitar acidentes que é todo evento danoso, não premeditado, ocorrido em via pública, envolvendo o veículo, a via, a pessoa ou animal e pode acontecer com qualquer condutor.

“Mas, o acidente pode ser evitado se o condutor tomar cuidados básicos como a manutenção de veículo, a sobriedade ao volante e a atenção do motorista que precisa pensar antes sobre as consequências de se envolver numa infração de trânsito. É preciso parar para pensar e avaliar que a autuação sofrida por vocês quando foram flagrados dirigindo alcoolizado poderia ser muito pior caso houvesse uma vítima”, alertou.

O palestrante destacou que a ação do Judiciário pode marcar o início de um novo tempo de mais responsabilidade dos motoristas e condutores de Cruzeiro do Sul ao informar que o município já tem uma frota de mais de 30 mil veículos. “Muitas pessoas defendem a tese de não fazer o teste do bafômetro porque vai se incriminar, mas esquece de que seu direito acaba quando sua ação pode causar danos à comunidade”, disse.

Sobre sua função Fábio afirmou aos condutores que corregedor não é um inimigo dos motoristas e condutores, mas está exercendo um cargo que tem a responsabilidade de aplicar a lei. “O trabalho do corregedor não é uma perseguição e ele não tem interesse em aumentar em nada a pena de qualquer pessoa, mas tem o dever de avaliar os laudos de infração e aplicar as penas, inclusive de cassação da CNH”.

Ao destacar a decisão do Judiciário cruzeirense, representado pela Juíza de Direito Ana Paula Saboya Lima e pela Ciretran, representada pelo sargento Valdeci Dantas, o corregedor lembrou aos participantes que no caso de condenação criminal o condutor perde imediatamente o direito de dirigir e a cassação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é imediata.

Mas, o corregedor alertou os condutores penalizados para utilizarem de forma correta o direito dado pela Justiça, salientando que deslizes acontecem, mas é preciso seriedade no cumprimento da pena para não haver a reincidência que causa problemas mais sérios e a cassação da CNH é um dos mais graves, principalmente para quem necessita estar habilitado para exercer sua profissão.

“A pena pecuniária tem um caráter educativo, apesar do prejuízo financeiro das pessoas. O que se percebe é que só quando mexe no bolso é que as pessoas param para pensar no problema. O Estado e os órgãos de trânsito não estão interessados em arrecadar dinheiro com multas, pois tem que prestar contas do dinheiro arrecadado que tem aplicação definida pela lei”, afirmou.

Segundo Fábio Ferreira as prefeituras são os órgãos legalmente responsáveis pelo trânsito no município, mas a maioria dos gestores se exime dessa responsabilidade pela antipatia da situação de ter que multar infratores e causar prejuízos políticos. “Se o Detran não fizesse esse trabalho de organizar o trânsito no Acre estaria um caos, porque nenhum prefeito assume esse trabalho.

A Juíza de Direito, Ana Paula Saboya Lima, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Cruzeiro do Sul, participou da palestra junto com os condutores infratores que foram penalizados, mas conseguiram a oportunidade do Judiciário para se redimirem da infração cometida e conversou com os participantes alertando da necessidade de se ter mais responsabilidade na direção de um veículo.

A magistrada alertou para a gravidade de não cumprimento do acordo feito no Judiciário e participar das palestras e das atividades do Detran e da Ciretran, além de não voltar a reincidir na mesma infração que acarretará a imediata condenação e as consequências da legislação que penaliza os condutores, além das multas, com a cassação do direito de conduzir veículos.  

“Tenho certeza de que todos os penalizados saíram desta palestra melhor do que entraram. Para o Judiciário é muito mais cômodo usar a lei e condenar, mas queremos dar uma oportunidade para que todos possam se conscientizar da necessidade de cumprir as determinações da legislação de trânsito e ser mais um responsável pela pacificação do trânsito que é responsável por tantas mortes no Brasil”, disse.

Add a comment (0)

Vítimas de trânsito são homenageadas em Cruzeiro do Sul

Trânsito 1

Familiares e poder público homenagearam vítimas do trânsito em Cruzeiro do Sul (Foto: Onofre Brito)

Agência de Notícias do Acre - Rubiluci Almeida

O Dia Mundial em Memória às Vítimas de Trânsito foi celebrado em Cruzeiro do Sul, pelo terceiro ano consecutivo, neste domingo, 17. Um culto ecumênico foi realizado na praça do Centro Cultural, em alusão à data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) no terceiro domingo do mês de novembro. Na ocasião são homenageadas não apenas vítimas fatais do trânsito, mas também familiares, amigos e todos os que sofrem a perda de entes queridos.

De acordo com Valdecir Dantas, gerente regional da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), o evento é uma oportunidade de aumentar a consciência pública em relação ao custo dos acidentes rodoviários para as comunidades, bem como de enfatizar a necessidade de superar o problema e oferecer apoio às famílias das vítimas. “Não resta dúvida de que esse é um problema social muito grande e precisamos mobilizar a sociedade para que essa dor não faça parte da vida de outras famílias”, salientou Valdecir.

No memorial, mudas de plantas representaram a vida das 58 vítimas de morte do trânsito no município, no período de 2010 a 2013. Depois do dia 20 de novembro, cada muda será plantada na rotatória em frente à Ciretran, como forma de manter a memória das vítimas. A aposentada Marliz Souza, que perdeu o filho de 33 anos em acidente, entende que a data representa a dor e a memória dos entes queridos que morreram.

No Acre, apesar das estatísticas favoráveis, que revelam uma diminuição significativa no número de mortes em acidentes de trânsito, apenas em 2012 foram registradas 95 nas vias estaduais. Em 2013, até o momento, o número já chega aos 73. Mas, muito além dos dados estatísticos, cada fatalidade está ligada a histórias de indivíduos com sonhos e projetos, muitas vezes interrompidos bruscamente.

A família de Evilásio Rodrigues, pai de Antônio Clemildo de Souza, de 22 anos, morto também pela imprudência no trânsito, ao menos pôde assistir quatro famílias com a doação de órgãos do filho. Ele alerta os condutores para que não façam de seus veículos uma arma: “Hoje é um dia muito triste para nós”, disse.

Evilásio Rodrigues e a família se emocionaram durante o evento (Foto: Onofre Brito)

Para reduzir a estatística de acidentes, o governo do Acre tem priorizado ações educativas, de sensibilização, de fiscalização e de engenharia, visando tornar as vias mais seguras para a circulação dos condutores, ciclistas e pedestres.

O coronel da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul Aires da Silva explica a parceria entre os trabalhos da Polícia Militar e a Ciretran, para um trânsito mais seguro: “Somos parceiros, mesmo porque a Ciretran faz parte do Sistema de Segurança Pública nos Estados, então nos esforçamos para que consigamos que as pessoas se conscientizem do maior bem tutelar de uma pessoa, a vida”.

 

Add a comment (0)