Ciretran projeta crescimento de 11% na frota de Cruzeiro do Sul

Ciretran valdeci

A 1a Circunscrição Estadual de Trânsito de Cruzeiro do Sul (Ciretran) projetou, para 2013, um crescimento de 11% na frota de veículos. O estudo tem por base simulações feitas com anos anteriores, principalmente depois da ligação terrestre definitiva do município. Apesar dos investimentos em sinalização, contratação de educadores, atendimento ao público, infra estrutura e a consequente redução das vítimas com morte, o trânsito ainda é considerado violento.

De acordo com o diretor da autarquia, Valdeci Almeida Dantas, o principal desafio é fazer uma “mudança de hábitos” em condutores, ciclistas e pedestres. “Essa mudança de comportamento não depende só de nós”, disse ele, destacando a ausência de calçadas e ruas esburacadas como fatores que contribuem para os acidentes. A frota saiu de 17.506 em 2011 para 19.450 veículos em 2012.

Considerando o ano como positivo, Valdeci quer implantar uma “nova filosofia”, que é atentar para as particularidades do trânsito da cidade. Ela cita o desrespeito das preferenciais nas rotatórias, o avanço no sinal vermelho, a condução sem habilitação e a superlotação dos veículos automotores.

“Vamos aumentar o poder de conversa e mobilizar a sociedade para criar uma nova cultura de paz”, almeja o diretor, afirmando que em 2012 a Ciretran atingiu 50 mil pessoas com a educação no trânsito.   

A autarquia pretende desenvolver várias atividades voltadas à conscientização da população, segundo ele, na busca por um trânsito mais pacífico. “O grupo de educadores triplicou neste ano. Chegaram veículos e foram contratados agentes de trânsito”, informou, acreditando em três combinações: educação, fiscalização e colaboração da população para que se tenha mais paz no trânsito.

Polícia major alves
 

Em Cruzeiro do Sul, durante os meses de verão, são emplacados cerca de 200 veículos, entre motos e carros. A frota da cidade cresce e a estruturação da cidade não acompanha esse aumento. Segundo o Major Alves, comandante da PM em Cruzeiro do Sul, também assustado com o número de acidentes, a fiscalização deverá ser intensificada.

"A questão da consciência é a chave e o envolvimento da sociedade civil é muito importante. As instituições têm que abrir as portas para que todos recebam instruções, especialmente a partir da infância e adolescência", ressaltou ele.  

Jorge Natal - Fotos: Arquivo Voz do Norte
 

Powered by Bullraider.com