Câmara Municipal realiza 5ª edição do Título “Mulher Destaque Cruzeirense” em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Câmara Municipal realiza 5ª edição do Título “Mulher Destaque Cruzeirense” em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Título Mulher de Destaque Cruzeirense lotou as dependências da Musical Importadora de familiares e amigos das homenageadas

Título Mulher de Destaque Cruzeirense lotou as dependências da Musical Importadora de familiares e amigos das homenageadas

Elson Costa – FOTOS: ISMAEL MEDEIROS 

Neste 08 de Março, Dia Internacional da Mulher, a Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul realizou a 5ª Edição do Título “Mulher Destaque Cruzeirense”, criado pelo Decreto Legislativo 07/2013, de autoria do ex-vereador Marcos Lima Verde, para reverenciar e homenagear as mulheres cruzeirenses, na data mundial que reconhece e destaca a importância delas no contexto da vida.

Autoridades e os 14 vereadores marcaram presença e abrilhantaram a festa da mulher 2018

Autoridades e os 14 vereadores marcaram presença e abrilhantaram a festa da mulher 2018

A grande festa da mulher cruzeirense teve a presença dos 14 vereadores e aconteceu na Musical Importadora, na noite desta quinta-feira (08), onde cada vereador indicou uma “Mulher Destaque” para ser homenageada. A solenidade foi prestigiada pela deputada federal Jéssica Sales (MDB/AC), pelo representante da vice-governadora Nazaré Araújo (PT), Edvaldo Magalhães, o vice-prefeito Zequinha Lima e pela empresária Bete Cameli.

A solenidade foi prestigiada também pelo Comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar (6º BPM), Major PM. M. Jorge, a Tenente Ana Noel, representando o Comandante do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (61º BIS) IS, a Secretária de Assistência Social do município de Rodrigues Alves, Josinei Correia, que interpretou a música Mulher, do cantor Erasmo Carlos, numa bela homenagem às mulheres, além de familiares.

Uma oração dirigida pelo presbítero Albano e o Hino de Cruzeiro do Sul tocado pela Banda do 61º BIS marcou a abertura da Sessão Solene presidida pelo vereador Romário Tavares, presidente da Mesa Diretora da Câmara Municipal, que fez a honras do Poder Legislativo ao destacar a importância do Dia Internacional da Mulher e da homenagem prestada às mulheres cruzeirenses que se destacam na comunidade.

Presidente da Mesa diretora, Romário Tavares destacou a Sessão Solene com uma das mais importantes de cada ano

Presidente da Mesa diretora, Romário Tavares destacou a Sessão Solene com uma das mais importantes de cada ano

Romário Tavares lembrou que a comemoração do Dia Internacional da Mulher pela Câmara Municipal se originou na aprovação de um Decreto Legislativo de autoria do ex-vereador Marcos Lima Verde, aprovado por unanimidade pelos vereadores daquela legislatura e marcou o início da importante comemoração que nos últimos quatro anos já homenageou mais de 40 mulheres.

“Tenho dito aos meus amigos vereadores Elenildo do PP, Keleu, do PDT, Mazinho, do PMDB, Chaguinha do Povo, do PDT, Marivaldo Figueiredo, do PMDB, Clodoaldo Rodrigues, do PR, Mariazinha, do PHS, Antônio Cosmo, do PMDB. Lucila Brunetta, do PMDB, Leandro Cândido, PSL, Ronaldo Onofre, do PDT, Ocenir Maciel, do PDT e Franciney Freitas, do PT, que é uma alegria a Câmara Municipal fazer esta justa homenagem”, disse.

Segundo Romário Tavares, na sua avaliação, a Sessão Solene do Dia Internacional da Mulher na Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul é a mais importante do ano porque homenageia a criança, o homem, a mulher, que na avaliação dele é a principal personagem da terra, depois de Deus. Ao saudar a todos por atenderem o convite em nome da senhora Beatriz Cameli saudou também as homenageadas dos anos anteriores;

“Para mim primeiro é Deus e depois a mulher. Sejam todos bem vindos a essa solenidade onde o Poder Legislativo faz uma justa homenagem a todas as mulheres que de alguma forma contribuíram e ainda contribuem com o desenvolvimento do município, principalmente pelo alcance social das suas ações. Quero agradecer também aos nossos funcionários pelo empenho e suporte para a realização desta solenidade”, disse.

Presidente Romário Tavares escolheu como homenageada sua professora Mariquinha

Presidente Romário Tavares escolheu como homenageada sua professora Mariquinha

O presidente da Câmara aproveitou a oportunidade para saudar a sua homenageada, a professora Mariquinha, que deu aula para ele no terceiro ano escolar. “Dona Mariquinha foi minha professora no 3º ano e quando fui fazer o convite da sua participação ela se lembrou e disse que tinha sido minha professora na Escola Rego Barros”, disse ao comentar com o ex-deputado Edvaldo Magalhães, filho da homenageada.

Vereadora Mariazinha foi homenageada também com um buquê de flores pelo presidente da Câmara Municipal

Vereadora Mariazinha foi homenageada também com um buquê de flores pelo presidente da Câmara Municipal

A vereadora Mariazinha destacou a importância da homenagem as “Mulheres Destaques Cruzeirense” onde a Câmara Municipal, através de um Decreto Legislativo de autoria do ex-vereador Marcos Lima Verde a cada ano, por ocasião do Dia Internacional da Mulher, reconhece o trabalho de algumas mulheres em prol da comunidade.

“Este é um momento importante da sociedade cruzeirense onde o Poder Legislativo reconhece o trabalho de todas as mulheres. É uma alegria e satisfação, hoje, presidente, tenho a oportunidade de fazer uma homenagem à minha primeira professora que me pegou no colo, me ensinou a ler e escrever. É um momento importante para toda sociedade cruzeirense pela homenagem ao Dia Internacional da Mulher”, disse.

O ex-deputado Edvaldo Magalhães, cuja mãe dona Mariquinha foi homenageada, representou a vice-governadora Nazaré Araújo na solenidade

O ex-deputado Edvaldo Magalhães, cuja mãe dona Mariquinha foi homenageada, representou a vice-governadora Nazaré Araújo na solenidade

O ex-deputado Edvaldo Magalhães, atual diretor-presidente do Departamento de Água e Saneamento do Acre (Depasa), que na Sessão Solene representou a vice-governadora Nazaré Araújo, em seu discurso, destacou a presença de todos os vereadores e vereadoras e parabenizou as homenageadas e o Poder Legislativo municipal.

Ao cumprimentar o vereador Romário Tavares, o vice-prefeito Zequinha Lima, a deputada Jéssica Sales e os familiares presentes, lembrou que sua mãe, a professora Mariquinha, também é uma das homenageadas da noite ao destacar que o mundo todo festeja o dia 08 de Março por conta de um episódio onde cerca de 100 tecelãs, que resolveram se rebelar contra a exploração e foram brutalmente assassinadas.

“Cerca de 100 mulheres tecelãs resolveram um dia se rebelar contra a exploração de seu trabalho, que era tanto que elas não agüentavam mais trabalhar e por conta de uma greve o dono da fábrica resolve trancá-las e tocar fogo na fábrica para acabar com o protesto. Ao longo de décadas cada país foi reconhecendo a data. Hoje, não é apenas um reconhecimento qualquer, é um momento de trazer e relembrar que essa luta pela emancipação das mulheres ainda terá muitas batalhas pela frente, mas, que vocês que estão sendo homenageadas, com certeza, sublinham que estão ajudando na conquista e busca do espaço de poder necessário às mulheres do país, do mundo e da nossa comunidade de Cruzeiro do Sul”, disse.

Edvaldo Magalhães citou a presença dos seus irmãos – Osvaldo e Erivaldo – que lhe acompanharam na homenagem a sua mãe e as demais mulheres. “Quero dizer que olhando às homenageadas passa na memória uma lembrança de muitas delas. Fico pensando que se cada uma tivesse que contar sua história a um escriba seria necessário escrever algumas dezenas de livros para registrar para a memória das gerações futuras porque elas são construtoras, cada uma no seu canto, no seu trabalho e jeito de construir a história da nossa comunidade”, disse.

Edvaldo Magalhães e os irmãos Osvaldo e Erivaldo prestigiaram a homenagem concedida pelo vereador Romário Tavares a professora Mariquinha

Edvaldo Magalhães e os irmãos Osvaldo e Erivaldo prestigiaram a homenagem concedida pelo vereador Romário Tavares a professora Mariquinha

Ao destacar a história de vida da professora Mariquinha, Edvaldo Magalhães afirmou que sua trajetória é um exemplo de superação dos problemas da vida porque ela nasceu no seringal, ficou órfã de pai e mãe aos cinco anos de idade, foi criada por parentes, antes dos 10 anos já teve que cortar seringa e acompanhar uma pessoa para carregar o balde da coleta do leite.

Depois, se casou, teve três meninos e quando as coisas começaram a acontecer ela fica viúva, num acidente aéreo que ficou conhecido no Brasil inteiro e matou todos os passageiros sendo um deles o marido dela. Viúva teve que se superar e começar tudo de novo ao lembrar que um dos melhores momentos que assistiu na vida da professora Mariquinha foi que ela sempre incentivou os filhos a estudar.

“No dia que o filho mais velho – Osvaldo – concluía seu segundo grau ela também concluía o segundo grau dela, no mesmo dia e na mesma escola. Na formatura um foi padrinho e madrinha do outro de formatura. Depois fez uma faculdade e agora até uma Pós-graduação. Mariquinha é esse exemplo de que se coloquem as dificuldades da vida que ela se abraça com a esperança para superar”, disse.

Vice-prefeito Zequinha Lima parabenizou as mulheres homenageadas e a Câmara Municipal pela realização do evento

Vice-prefeito Zequinha Lima parabenizou as mulheres homenageadas e a Câmara Municipal pela realização do evento

O vice-prefeito Zequinha Lima, cumprimentou o presidente da Câmara Municipal, vereador Romário Tavares e demais vereadores, ao amigo pessoal, o ex-deputado Edvaldo Magalhaes com quem conviveu muito tempo na política, mas continua a amizade, as vereadoras mulheres – Lucila Brunetta e Mariazinha – e em especial a deputada federal Jéssica Sales, que com sua presença abrilhantava ainda mais o evento.

“Cumprimento às homenageadas em nome da professora Mariquinha, que trabalhava na Escola Rego Barros, militou muito tempo no Sinteac, participou de muitas visitas, greves e movimentos e estava sempre na linha de frente. Trago  um abraço do nosso prefeito municipal Ilderlei Cordeiro que não pode estar presente e quero parabenizar a Câmara Municipal pela iniciativa brilhante e justa de homenagear algumas mulheres”, disse.

Zequinha Lima destacou também que muitas outras mulheres da nossa comunidade merecem ainda receber o título de “Mulher Destaque Cruzeirense”, mas ressaltou que as homenageadas representam as outras que ainda não puderam estar presente ao afirmar que na sua avaliação deveria estar passando um filme na cabeça de todas sobre o tanto que já contribuíram para essa sociedade.

“O Dia 08 de Março serve para lembrar o trabalho já feito pelas nossas mulheres, esses espaços vão ser conquistados cada vez mais a partir do exemplo que vocês todas prestam à sociedade, muitas ainda no anonimato, outras já cumpriram e algumas outras continuam a prestar sua contribuição no trabalho profissional liberal. Esse dia serve para fazermos uma reflexão do que ainda precisa ser conquistado pelas nossas mulheres. Parabéns a todas”, disse.

A deputada federal Jéssica Sales prestigiou a solenidade e recebeu um buquê de flores das mãos do presidente da Camara Municipa

A deputada federal Jéssica Sales prestigiou a solenidade e recebeu um buquê de flores das mãos do presidente da Camara Municipa

Ao cumprimentar os vereadores e as homenageadas a deputada federal Jéssica Sales fez uma saudação especial ao vice-prefeito Zequinha Lima, as vereadoras Lucila e Mariazinha, a eterna primeira dama Beatriz Cameli e ao presidente da Câmara Municipal e aos demais vereadores ao destacar que o Dia da Mulher precisa ser todo dia porque as mulheres têm afazeres contínuos para garantir o bem estar da família.

“Hoje é um dia especial. Pela manhã estive na Rodrigues Alves para participar de outra sessão solene. Lá disse que o Dia Internacional da Mulher não é apenas o dia 08 de Março, mas todos os dias porque a mulher faz muitas coisas no seu dia a dia. Vejo belíssimas histórias dessas 14 homenageadas como as da dona Mariquinha, mas as mulheres ainda sentem muitas dificuldades e mesmo sendo em número maior tem falta de oportunidade, sofrem abusos e exploração”, afirmou.

A deputada federal lembrou a necessidade de se mudar ainda muitas coisas para se garantir mais dignidade a mulher. “Precisamos mudar muitas coisas, tenho uma mulher na vida que é a minha mãe Antônia Sales, que veio de outro país, é peruana e já enfrentou muitas dificuldades, mas sempre mostrou que tem um coração grande e está sempre do lado das famílias que mais precisam. Infelizmente, minha mãe não está aqui porque meu tio está operado e precisa dela. Mas, quero parabenizar as mulheres de Cruzeiro do Sul e do Acre, também em nome dela, porque sinto muito orgulho de ser cruzeirense”, disse.

Secretária de Assistência Social de Rodrigues Alves, Josinei Correia, cantou a música Mulher, do cantor Erasmo Carlos, em mais uma homenagem as mulheres do Juruá

Secretária de Assistência Social de Rodrigues Alves, Josinei Correia, cantou a música Mulher, do cantor Erasmo Carlos, em mais uma homenagem as mulheres do Juruá

A professora e secretária de Assistência Social do município de Rodrigues Alves, Josinei Correia, a convite, fez uma participação especial com mais uma singela homenagem as “ Mulheres Destaque Cruzeirenses” com a música Mulher, do cantor Erasmo Carlos. “ Cumprimento a mesa na pessoa da minha  amiga guerreira senhora Beatriz Cameli e em nome da mulher rodriguense quero dizer que é um prazer e não poderíamos como parceiros, um município vizinho que fazemos parte da mesma região do Juruá, deixar aqui essa singela homenagem com essa canção de Erasmo Carlos – Mulher –  que fala da força da mulher, a dependência da família na mulher, na força da mulher guerreira que luta pela sua família, pelos seus filhos e que é referencia no lar. Lembrar um pouquinho que Deus fez cada mulher da costela do seu homem, foi do seu lado porque a mulher é parceira, ela é guerreira, está junto, ajuda a sustentar e é alicerce também. Não esqueçamos, quero fazer essa ressalva aos homens aqui presentes que deem valor às suas mulheres, as suas mães e filhas, elas são anjos de Deus porque servem para orientar e são termômetro na vida de vocês. Parabéns lindas e fico feliz por vocês”, parabenizou.

Nesta 5ª Edição do “Prêmio Mulher Destaque Cruzeirense” foram homenageadas a professora Maria Antonieta de Freitas Silvério, indicada pela vereadora Mariazinha (PHS); enfermeira e Mestre em Administração Pública Magda Ramos Torres, peruana, indicada pela vereadora Lucila Brunetta (MDB), a funcionária pública aposentada e costureira Juraci Teles Bezerra, indicada pelo vereador, Leandro Cândido (PSB).

Mulher Destaque 11 homenageadas de frente b

A bancária aposentada Eliza Rodrigues Ferreira, indicada pelo vereador Franciney; dona Marlene da Costa Maciel, indicada pelo vereador Oceny Maciel; a bancária aposentada Maria José de Oliveira Melo, indicada pelo vereador Chaguinha do Povo (MDB); a Técnica em Enfermagem e missionária Edna Martins da Silva Melo, indicada pelo vereador Mazinho da BR (MDB); a Técnica de Enfermagem Maria das Graças de Souza Melo (Gracita), indicada pelo vereador Elenildo Nascimento (PP).

Mulher Destaque 13 homenageadas de frente d

A Psicóloga Luziane Casimiro Pires, indicada pelo vereador Keleu (PDT); a líder comunitária Artemísia Souza de Oliveira, indicada pelo vereador Marivaldo da Várzea; a Médica Cardiologista Joseane Elza Tonussi Mendes, indicada pelo vereador Clodoaldo (PR); a bancária e pastora da Igreja Batista do Bosque Jamile Sampaio Rego Mariano, indicada pelo vereador Antônio Cosmo; a professora Lacy Freitas do Vale, indicada pelo vereador Ronaldo Onofre.

Mulher Destaque 12 homenageadas de frente c

A professora aposentada Maria Soares Pio, foi indicada pelo presidente da Câmara Municipal vereador Romário Tavares (MDB).

Dona Beatriz Cameli foi homenageada com um buquê de flores

Dona Beatriz Cameli foi homenageada com um buquê de flores

Na conclusão da solenidade a empresária Beatriz Cameli, esposa do saudoso ex-governador Orleir Cameli, que é peruana de nascimento, mas tem o Título de Cidadão Cruzeirense, parabenizou os vereadores por estarem atentos na valorização do trabalho das mulheres cruzeirenses e homenageá-las.

“É muito bonito ver os vereadores atentos para valorizar o trabalho das mulheres cruzeirenses e homenageá-las. A Dra. Josiane, faz um estudo sobre o barbeiro citado em revistas científicas. D. Eliza fez um trabalho brilhante no Banco da Amazônia, a esposa do pastor Mariano, Dona Juraci, Mariquinha, minha vizinha, Magda, da Saúde, Maria José, conheço há muitos anos, Dra. Luziane também faz um belo trabalho e todas elas merecem essa justa homenagem”, disse.

Dona Beatriz lembrou que quando recebeu o Título de Cidadão Cruzeirense sofreu uma discriminação pelo vereador que fez a indicação por ela ter nascido no Peru, mas esclareceu aos vereadores numa carta de agradecimento que serviu também para afirmar que era merecedora do Título por ser neta de nordestino e de espanhóis, filha de acreano nascido em Brasileia e que foi trabalhar num banco no Peru, além de ser casada com um ilustre cruzeirense, o ex-governador Orleir Cameli e mãe de um filho acreano.

“Depois da leitura da carta os vereadores aplaudiram e aprovaram por unanimidade o meu Titulo de Cidadã Cruzeirense,que era um título que desejava ter. Na oportunidade não foi facultada a palavra para os homenageados e estou aproveitando aqui para contar para vocês”, disse, ao finalizar.

Na conclusão da Sessão Solene o presidente da Mesa Diretora, vereador Romário Tavares, agradeceu a presença das autoridades – ex-deputado Edvaldo Magalhães, que representou a vice-governadora, ao vice-prefeito Zequinha Lima, a deputada Jéssica Sales, que faz um grande trabalho em benefício do município que orgulha e tem o reconhecimento do povo, além da senhora Beatriz Cameli, esposa do saudoso governador Orleir Cameli que faz um belo trabalho social na cidade.

“Muito obrigado a Deus e todas as homenageadas pela presença, a imprensa e todos seus familiares. Aos 14 amigos vereadores por estarem ajudando a fazer essa homenagem. As autoridades presentes e quero desejar a todas as mulheres cruzeirenses muita saúde e conquistas. Declaro encerrada a Sessão Solene de entrega do Título Mulher Destaque Cruzeirense”, finalizou.

Quem são as 14 Mulheres Destaque Cruzeirense de 2.018

A professora Antonieta foi a primeira homenageada, indicada pela vereadora Mariazinha. a homenageada foi a sua primeira professora

A professora Antonieta foi a primeira homenageada, indicada pela vereadora Mariazinha. a homenageada foi a sua primeira professora

A professora Maria Antonieta de Freitas Silvério nasceu no dia 20 de Agosto de 1.933, filha de Manoel de Freitas Cardoso e Ana Rosa Maciel Cardoso, ambos foram sua fonte de inspiração. O seu pai Manoel foi contratado como professor pelo Tenente Tancredo Maia, prefeito de Cruzeiro do Sul, na época.

Em 1.954, a professora Maria Antonieta casou-se com o senhor João Silvério e juntos tiveram dez lindos e maravilhosos filhos. Como professora iniciou suas atividades pedagógicas em 1.964. Foi funcionária do quadro da Secretaria Estadual de Agricultura e aos depois assumiu o cargo de inspetora de ensino, quando a senhora Regina Maia lhe fez um convite para trabalhar na Secretaria Estadual de Educação.

Dona Maria Antonieta realizou um grande trabalho durante 12 anos como professora de alfabetização na Escola Absolon Moreira e nesta mesma época teve a oportunidade de ser diretora da referida escola por mais de anos. Ela foi à primeira professora da atual vereadora Mariazinha e por motivo de mudança de residência também trabalhou na Escola Osvaldo Lima como auxiliar de secretaria lá permanecendo até sua aposentadoria.

Dona Maria Antonieta foi uma funcionária exemplar, pois sempre esteve atenta aos valores éticos e morais.

A Enfermeira e Administradora Magda foi uma das agraciadas

A Enfermeira e Administradora Magda foi uma das agraciadas

A enfermeira e Mestre em Administração Pública Magda Ramos Torres, natural de Arequipa, no Peru, é enfermeira graduada na PUC de sua cidade natal, pós-graduada em instrumentação cirúrgica no Peru e Mestre em Administração Pública pela faculdade do Peru. Atuou como professora principal na Universidade de enfermagem São Luiz Gonzaga, em ICA, no Peru, por 17 anos e como gerente de enfermagem no Hospital IPSS, no Peru, durante seis anos.

A chegada de Magda a Cruzeiro do Sul foi em 1.995 como objetivo de conhecer o município onde trabalhava o esposo Dr. Matta, trazido na época pelo ex-governador Orleir Cameli. Todas as vezes que visitava a cidade entrava nas cirurgias e dava instruções à Irmã Inete, sobre as coisas que já eram usadas nos centros cirúrgicos. O convite para que a enfermeira Magda viesse trabalhar em Cruzeiro do Sul também foi feito pelo ex-governador Orleir Cameli. Na época o Dr. Braga era o emissário aceitando a contratação da enfermeira que começou a trabalhar no Centro Cirúrgico de Cruzeiro do Sul em 1.998.

Após dois anos na Maternidade o gerente de Enfermagem proibiu o auxílio de enfermeiros nas cirurgias, tendo como resposta de Dona Magda que ela estava ali para salvar vidas e não para matar, foi necessário sair do Centro Cirúrgico e trabalhar no Pronto Socorro no dia 1º de Maio de 2.000 quando começou a realizar modificações no sistema de trabalho.

Ao chegar ao local dona Magda constatou que os procedimentos não estavam sendo feitos da forma correta e com materiais inadequados. Diante a situação a enfermeira Magda solicitou autorização da direção do Hospital para montar uma sala de reanimação para atendimento de pacientes graves. E foi assim que ela equipou uma sala com respirador, monitor cardíaco, desfibrilador, eletrocardiógrafo, laringoscópios e componentes de intubação, deixando uma sala de reanimação completa ao fim de seu primeiro plantão, tendo seu uso no dia seguinte pelo primeiro paciente, Epitácio Melo, que chegou infartado.

A enfermeira Magda continuou fazendo mudanças no Pronto Socorro até que o governador da época enviou uma resolução: a reforma do Pronto Socorro num momento de muita alegria para Magda que só naquele momento teve o pedido de compra de equipamentos necessários atendido.

Em 2.000 foi eleita a gerente de Enfermagem da instituição de saúde onde permaneceu durante sete anos até ser transferida para o Hospital do Juruá onde ficou trabalhando no Centro Cirúrgico e organizou o local para iniciar o funcionamento que acontece até hoje.

Dona Juraci Bezerra foi indicada pelo vereador Leandro Cândido

Dona Juraci Bezerra foi indicada pelo vereador Leandro Cândido

A costureira e Juraci Teles Bezerra nasceu no ano de 1.944 e reside há mais de 39 anos no bairro da Várzea onde passou a morar no ano de 1.988 com toda sua família. Dona Juraci é casada há 59 anos com Francisco Souza Bezerra, com quem teve 12 filhos frutos dessa união: Clea, Francisco, Ângela, Tânia, Maria das Graças, Glória, Carita, André e Iolanda, que lhe deram a felicidade de mais de 33 netos e 23 bisnetos.

A vida não foi nada fácil durante todos esses anos. Para conseguir sustentar todos os filhos dona Juraci teve que trabalhar bastante. Foram 33 anos trabalhando em serviços prestados como funcionária do governo do Estado e ainda tinha uma dupla jornada como costureira para conseguir junto com o marido sustentar a família. Somente na área da costura foram 59 anos de dedicação.

Dona Elisa do Basa está aposentada, mas de dedica a outras atividades

Dona Elisa do Basa está aposentada, mas de dedica a outras atividades

A bancária aposentada Eliza Rodrigues Ferreira nasceu em Cruzeiro do Sul no dia 14 de Agosto de 1.948. Filha dos agricultores Justino Sales dos Santos, natural de Sergipe e Rosa Rodrigues da Silva, natural de Cruzeiro do Sul-AC. Quando tinha dois anos seu pai perdeu toda a visão e sua mãe ficou com seis filhos para criar apenas com os recursos adquiridos da agricultura familiar. Após três anos de estudo na Escola Coronel Contreiras foi para o Instituto Santa Teresinha onde concluiu o Ensino Fundamental e Médio.

Aos 14 anos ficou órfã de pai. Casou-se em 1.972 com Abílio Ferreira Neto e tiveram quatro filhos: Elisângela, Álen Marcos e os gêmeos Adriana e Adriano. Começou a trabalhar na Educação aos 18 anos. Durante os 12 anos que permaneceu no setor concluiu a Faculdade Parcelada na área de Pedagogia, em Rio Branco. Em Março de 1.979, após aprovação em concurso ingressou no Banco da Amazônia. Com uma gravidez de risco três meses depois sofreu um Acidente Vascular Cerebral que trouxe graves conseqüências à sua saúde ficando fora das atividades por dois anos e oito meses. Em Março de 1.982 retomou suas atividades no Banco da Amazônia onde permaneceu por 26 anos e nove meses, atuando na supervisão operacional por vários anos e gerente geral por quatro anos.

Em 2.005 deixou as atividades bancárias, mas não ficou por ai. Após um descanso começou a fazer um trabalho missionário voluntário junto a Diocese de Cruzeiro do Sul. Coordenou a Pastoral da Criança por oito anos trabalhando no objetivo de contribuir na promoção, recuperação e prevenção da saúde das pessoas para que tenha vida em abundância através da Medicina popular bioenergética, saúde alternativa, massoterapia e homeopatia. Dentro desse espaço de tempo ainda ficou na Articulação Diocesana das Comunidades Eclesiais de Base. Foram muitas as atividades realizadas durante este período junto aos mais necessitados na cidade, na zona rural e ao longo do Rio Juruá sempre levando a palavras de conforto, ensinando a valorizar e utilizar os produtos naturais da melhor e maior farmácia que Deus deixou.

Atualmente voltou a coordenação da Pastoral da Saúde e continua suas atividades junto a Diocese de Cruzeiro do Sul situada na Galeria dos Padres, Sala 208.

Vereador Ocenir indicou a professora Marlene para receber o título

Vereador Ocenir indicou a professora Marlene para receber o título

A senhora Marlene da Costa Maciel nasceu no dia 06 de Novembro de 1.957 no interior de Cruzeiro do Sul, na comunidade conhecida por Colônia de Agricultores Morada Nova, as margens do Rio Môa, filha de Aldezilio Moreira Maciel e Elza Maria da Costa Maciel.

Durante sua infância e juventude ajudava o pai na lida da roça, nos momentos que não estava na escola. Deslocava-se vários quilômetros para chegar até a comunidade Deracre para estudar sem saber ela que a vida traria mais uma vez a este lugar como matriarca de uma grande família.

Marlene aos 16 anos conheceu o senhor Amaral em uma de suas visitas a aos avós no Seringal Ipiranga e que veio a tornar-se seu esposo com quem teve 14 filhos, sendo que um faleceu ainda bebê. Quando se casaram foram morar no Seringal Extrema, no Rio Môa, onde nasceram os primeiros filhos. Passados 15 anos decidiram voltar para a Comunidade Humaitá, onde Marlene se abrigou com os filhos em uma escola desocupada para que eles pudessem estudar. O esposo ficava trabalhando no seringal para garantir o sustento da família e quando surgia uma oportunidade ele vinha para perto da família. Depois de muita luta e economia conseguiram comprar um terreno no Ramal do Macaxeiral onde passaram a morar e a subsistência passou a ser a roça e pesca.

Mesmo com todo esforço a situação financeira não era boa e só veio a melhorar quando o esposo começou a trabalhar na empresa Comara. Mesmo com muitas dificuldades seus filhos continuaram estudando e gradativamente foram se formando e conseguindo emprego e assim as coisas começaram a melhorar.

A mulher e mãe cursou somente até a 6ª série, mas conquistou um diploma de valor que excede qualquer ensino secular: o de mãe amorosa, protetora, que tinha a família por sua essência e que por ela fazia tudo e se sacrificava. Hoje, ela tem orgulho da grande e idônea família que construiu com seu amado e falecido esposo.

Edvaldo Magalhães e os irmãos Osvaldo e Erivaldo prestigiaram a homenagem concedida pelo vereador Romário Tavares a professora Mariquinha

Edvaldo Magalhães e os irmãos Osvaldo e Erivaldo prestigiaram a homenagem concedida pelo vereador Romário Tavares a professora Mariquinha

Maria Soares Pio, a professora Mariquinha, entende que a vida tem seus mistérios, altos e baixos e muitos imprevistos. Ela nasceu no seringal Valparaiso ficando órfã de pai e mãe muito cedo sendo criada por tios e pela madrinha Veneranda Said. Logo depois morou em Porto Walter com sua tia Bidu indo residir após alguns anos no Seringal Russas Velha com a madrinha.

Dona Mariquinha conheceu cedo Dilson Mesquita Magalhães com quem namorou, casou e construiu família ainda no seringal. No início o marido era seringueiro, depois passou a negociar no rio como regatão e após 12 anos decidiram mudar para Cruzeiro do Sul. Na cidade o marido deu continuidade à vida de comerciante, comprou um quarto no mercado e uma embarcação com balsa e rebocador, mas a alegria durou pouco. Em 28 de Setembro de 1.971 dona Mariquinha perde o marido que seguia para Manaus e morreu após a queda do avião, próximo a Sena Madureira onde não teve nenhum sobrevivente.

Mariquinha teve que enfrentar logo cedo a vida e todas as dificuldades. Ela só tinha de estudo, até então, o 3º ano primário. Passou a estudar, trabalhar e assumir o papel de mãe e pai. Começou a trabalhar na Escola Rego Barros como servente durante dois anos. Formou-se no Segundo Grau estudando junto com os filhos. Enquanto dona Mariquinha fazia Magistério o filho Osvaldo fazia Contabilidade. Antes de concluir o segundo grau já conseguiu atuar em sala de aula, apesar de não ser contratada. Ao terminar os estudos foi para o quadro de professores. Após 18 anos de conclusão do segundo grau a professora Mariquinha iniciou a faculdade de Pedagogia, em 2.002 e concluiu em 2.006. Fez em seguida uma pós-graduação e após 35 anos de contribuição ao Estado se aposentou. Hoje, dona Mariquinha pode dizer que se sente realizada em sua vida profissional e familiar.

Ex-bancaria Maria José busca apoio para vencer na vida

Ex-bancaria Maria José busca apoio para vencer na vida

A bancária aposentada e empresária Maria José de Oliveira Melo nasceu em 1.959. Filha de Geraldo Francisco de Oliveira, mais conhecido como Geraldo Menino e da senhora Elisa Pereira de Souza Oliveira. O pai de Maria José trabalhou com os padres alemães sendo um dos participantes da construção da Catedral de Nossa Senhora da Glória. Sua mãe era doméstica.

Maria José estudou durante sua infância e juventude no Instituto Santa Teresinha seguindo a carreira de professora de Matemática nas escolas Craveiro Costa e Professor Flodoardo Cabral o que motivou a cursar faculdade e com muita dedicação e estudo conseguiu ser aprovada num concurso do Banco do Brasil.

Casou-se em 1.979 com o empresário Joãozinho Melo com quem teve quatro filhos: Ênio, Jamara, Juciele e Janile e os enteados Railen, Emerson, além dos quatro netos Sofia, Manoel e Samuel e em breve estará chegando João Neto. Além de trabalhar no Banco do Brasil Maria José ainda ajudava o esposo a gerenciar os negócios da família. Mas, para surpresa de todos um trágico acidente na queda do avião da Rico Linhas Aéreas, no dia 30 de Agosto de 2.002, tirou a vida do esposo Joãozinho Melo que foi um dos grandes empresários de Cruzeiro do Sul e a partir daquele momento foi preciso se dedicar mais.

Atualmente aposentada Maria José continua se dedicando a toda sua família e tem como terapia e passatempo o artesanato. Ela continua ajudando na área social para o desenvolvimento da nossa cidade.

Vereador Mazinho prestigiou a solenidade de entrega do reconhecimento

Vereador Mazinho prestigiou a solenidade de entrega do reconhecimento

A Técnica de Enfermagem e missionária Edna Martins da Silva Melo nasceu em 22 de Junho de 1.957 em Cruzeiro do Sul, filha de Manoel Martins da Silva e Francisca Ramos da Silva. Seu pai era agricultor e sua mãe dona de uma pensão. Na infância e adolescência estudou em escola pública e nas horas vagas auxiliava seus pais em seus trabalhos.

Em uma família de dez irmãos é a mais nova. Ainda na adolescência morou em Rio Branco, retornando depois para Cruzeiro do Sul. Sempre determinada trabalhou em algumas empresas – Lojas Pernambucanas, Caixa Econômica, foi professora de 1º Grau no Seminário Menor. Aos 17 anos conheceu seu esposo José Alves de Melo, casando aos 19 e construindo uma família linda constituída de quatro filhos maravilhosos: Elissandra, Éden, Monelisse e Melanie, hoje todos casados.

Aos 32 anos, atendendo ao chamado de Deus ingressou na área missionaria cristã no intuito de servir a Deus e ao próximo como evangelizadora, educadora, conselheira, visitadora e realizando trabalhos na área social.

Estudou na Escola de Educação Teológica da Assembleia de Deus por quatro anos, fez cursos de Auxiliar de Enfermagem, trabalhou na área como Agente de Saúde e Auxiliar de Enfermagem. Após sete anos foi transferida para coordenar o Abrigo Infantil Lar Ester Cameli por mais sete anos. Alguns anos, pela graça e misericórdia de Deus foi consagrada missionária trabalhando em período integral na Sede da ADSUL atendendo as pessoas carentes e necessitadas.

Dona Edna Melo agradece a Deus por sua família, aos seus pastores, irmãos e amigos que sempre oram por ela e que lhe apóiam em toda sua trajetória de vida. Edna agradece também ao vereador Mazinho pela iniciativa de lhe homenagear e se sente honrada, realizada e com mais vigor e disposição para servir e realizar a missão que o Senhor lhe confiou. Obrigada a todos e contem comigo.

Mulher Destaque 111 gracita

A Técnica de Enfermagem Maria das Graças de Souza Melo, chamada carinhosamente de Gracita é filha de Francisca Linhares de Souza e Francisco de Souza Melo. Ela nasceu no dia 16 de Junho de 1.952 em Cruzeiro do Sul no bairro da Várzea onde morou por muitos anos.
é mãe de três filhos: Marinete, Marisângela e Marcelo e atualmente está casada com Marcilio da Silva Ferreira.

Dona Gracita iniciou seus estudos na Escola Rodrigues Alves. Em seguida estudou na Escola Braz de Aguiar, depois Barão do Rio Branco, Hugo Carneiro e concluiu o Ensino Médio na Escola Técnica Flodoardo Cabral. Começou a trabalhar aos 16 anos no Hospital Geral de Cruzeiro do Sul, sendo este seu primeiro emprego. Ainda na época da Ditadura Gracita passou três anos estudando para se formar em Técnica de Enfermagem sendo contratada efetivamente pelo Governo do Estado aos 22 anos na área de saúde.

Além do Hospital Gracita trabalhou na Unidade de Saúde Jesuíno Lins e na Clínica Cogiva, mas sua grande paixão era trabalhar no Hospital Geral de Cruzeiro do Sul ali realizando seu trabalho com muito amor, ajudando a salvar muitas vidas e cuidando de pessoas que vinham de diversos lugares.

Ajudava de coração as pessoas necessitadas que apareciam no Hospital sem condição financeira de arcar com os gastos com alimentação, roupas e até funeral quando chegava a morrer um paciente. Foram 40 anos levando sua contribuição a população cruzeirense o que faz ela ter sido indicada para receber esta justa homenagem por todos os serviços prestados ao governo do Estado na sua trajetória profissional.

Mulher Destaque 24 Dra Luziane

A Psicóloga Luziane Casimiro Paes nasceu no dia 15 de Julho de 1.967, na cidade de Eloi Mendes, no interior de Minas Gerais. Filha do casal Mara Helena Vilas Boas Casimiro e José Sebastião Casimiro a Dra. Luziane, como é mais conhecida em Cruzeiro do Sul é casada como o odontólogo José Augusto Terra Pires, conhecido por Dr. Terra e é mãe de três filhos: Brenda, Arthur e André Luiz.

Dra. Luziane chegou a Cruzeiro do Sul no dia 1º de Maio de 1.994 e seu primeiro trabalho foi em 1.996 como professora de Psicologia da Educação, na Escola Professor Flodoardo Cabral, até 1.997. Trabalhou também na Ciretran como Examinadora Perita em Trânsito, durante 10 anos. Em seguida exerceu a função de Psicóloga Hospitalar no antigo Hospital Geral de Cruzeiro do Sul e no Hospital da Mulher e da Criança do Juruá.

Atualmente exerce suas funções na Secretaria Municipal de Saúde de Cruzeiro do Sul, atuando no Programa NASF. Dra. Luziane ao longo desses 24 anos contribuiu e ainda continua contribuir com a população de Cruzeiro do Sul prestando seus serviços com muito amor e dedicação.

Mulher Destaque 25 marivaldo

Artemísia Souza de Oliveira nasceu em 11 de Maio de 1.980, no seringal Boa Fé, no município de Guajará, Estado do Amazonas. De uma família de nove irmãos é a sexta filha do casal Raimundo Abreu de Oliveira e Alenice Galdino de Souza. Ainda muito jovem já trabalhava na agricultura ajudando seus pais que lhe ensinaram as trilhas para alcançar seus objetivos.

Em 1.995 casou com o pescador Manoel Francisco Cauassa da Silva, mais conhecido por Chicô. No ano seguinte o casal mudou para Cruzeiro do Sul indo residir no bairro da Várzea onde permanece até os dias atuais. Começou a estudar no ano de 2.004 na Escola de Ensino Fundamental Barão do Rio Branco, fase da sua vida que passou por muitas dificuldades porque tinha que cuidar dos filhos pequenos e ainda consertar as redes de pesca do esposo. Mesmo assim não desistiu e conseguiu concluir o Ensino Médio no ano de 2.008.

Ainda cursando o Ensino Médio, em 2.006, prestou concurso público na Secretaria Municipal de Saúde de Cruzeiro do Sul sendo aprovada e começou a trabalhar como Agente Comunitária de Saúde (ACS) tendo como referência a Unidade Básica de Saúde Jesuíno de Souza Lins. Além de ACS ela é mãe e dona de casa e ainda encontra tempo para participar dos movimentos comunitários da comunidade. Há mais de oito anos faz parte da diretoria da Associação dos Moradores do Bairro da Várzea e com a equipe realizam trabalhos sociais em vários bairros de Cruzeiro do Sul, além de fazer parte de trabalhos voluntários para levar pessoas doentes carentes para fazer e também mulheres para a maternidade.

Hoje, com 37 anos, Artemísia continua casada, tem quatro filhos: Juliana, Bruna, Bruno e Raiane e uma neta, Emanuele e avalia que tem uma família abençoada. É evangélica e discípula da Igreja Batista do Bosque e líder da Geração Renascer. Considera-se uma mulher feliz e com a ajuda de Deus está fazendo diferença na vida de muitas pessoas.

Vereador Clodoaldo entregou o título a médica e cardiologista Josiane

Vereador Clodoaldo entregou o título a médica e cardiologista Josiane

A médica cardiologista Joseane Elza Tonussi Mendes nasceu em 14 de Setembro de 1.968, na cidade de Barbacena, Minas Gerais. Filha do casal Ernaldo Tonussi e Elza Tonussi, teve uma infância cercada de muito amor, união, alegrias, companheirismo e ensinamentos a respeito de ética e moral, recebendo grande influência da cultura italiana, através de seu avô materno e da cultura portuguesa de sua avó.

Joseane sempre foi direcionada pela família nos caminhos corretos. Aos quatro anos de idade deu início à vida escolar na Escola São José, em Belo Horizonte, recebendo ainda dos pais estímulos para uma boa formação através do esporte, balé, música, piano e aulas de inglês e alemão.

Joseane concluiu o Ensino Fundamental em uma escola particular denominada Ieven. Cursou o Médio no Colégio Técnico de Minas Gerais, da Universidade Federal de Minas Gerais, após ser aprovada para cursar Biologia. Foram três anos de estudo em tempo integral.

Em 1.987 foi aprovada no Curso de Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, dedicando-se intensamente aos estudos e imediatamente após sua formatura em 1.994 foi aprovada na Residência Médica em eco/dopler/cardiografia. Em 2.004 foi aprovada na prova de título pela Sociedade Brasileira de Cardiologia se tornando membro da sociedade.

Em 2.005 conheceu a região Norte vindo para o Acre em 2.012 a convite de um casal de Mâncio Lima que havia se hospedado em sua casa. Em Mâncio Lima trabalhou no Hospital Abel Pinheiro e pela prefeitura no mesmo período que abriu seu consultório. Foi aprovada em 1º lugar no concurso de Cardiologia do Pró-Saúde e iniciou suas atividades no Hospital da Mulher e da Criança onde também ocupou a direção técnica deste hospital participando de projetos que beneficiam a população como a criação do fluxo do recém-nascido e abertura do ambulatório de cardiologias de alto risco da mulher. Em seguida foi aprovada pelo concurso de clínica médica pela Sesacre onde está lotada no SAMU e ocupa o cargo de cardiologista no Hospital do Juruá.

Em 2.013 trabalhou pela Prefeitura de Cruzeiro do Sul nas comunidades Nari do Môa, Pentecostes e Posto de Saúde do Agricultor. Em 2.014 abriu seu consultório na Uniclínica e posteriormente fundou a Clínica do Coração com toda a estrutura suficiente para oferecer diagnósticos precisos a seus pacientes.

No dia 28 de Março a Dra. Joseane irá defender seu Mestrado a Faculdade de Medicina do ABC e já se prepara para o Doutorado.

Durantes esses seis anos que desenvolve seu trabalho no Acre tem se esforçado para prestar o melhor atendimento para a população com foco na qualidade de vida do indivíduo. A Dra. Josiane é amante da sua profissão e de dedica diariamente conforme o juramento que fez em 1.994. Sente-se privilegiada de estar no Acre e tem vários projetos de expansão de serviços cardiológicos para Cruzeiro do Sul e para o vale do Juruá.

Pastor Mariano e o vereador Antonio Costa entregaram o troféu a Pastora Ju

Pastor Mariano e o vereador Antonio Costa entregaram o troféu a Pastora Ju

A Economiária e Pastora Jamile Sampaio Rego Mariano nasceu em 25 de Dezembro de 1.983, em Rio Branco-Acre. Filha do casal Carlos Jamil Costa Rego e Eliane Maria Sampaio Rego é a primeira de duas filhas. O pai é funcionário do Incra e a mãe da Caixa Econômica Federal e sempre buscaram deixar como maior legado para as filhas a educação e a família como base de tudo, colocando sempre Deus em primeiro lugar.

A infância e a adolescência foram tranqüilas, sempre com foco nos estudos e vivência em um seio familiar equilibrado e feliz. Aos 16 anos concluiu o Ensino Médio e logo ingressou na Faculdade de Administração. Aos 18 anos iniciou a vida profissional no 2º Juizado Especial Cível em Rio Branco como estagiária. Aos 19 anos passou no concurso do CREA onde ficou por nove meses. Em seguida passou no concurso da Caixa Econômica Federal sendo chamada em 2.010 onde trabalha há quase oito anos. Atuando como gerente de relacionamento Pessoa Física da Agência de Cruzeiro do Sul sempre reconhecendo e valorizando as pessoas, buscando prestar um atendimento digno, com eficiência nos serviços e processos, trabalhando com ética e transparência. É funcionária da Caixa Econômica Federal por profissão é Pastora a Igreja Batista do Bosque por vocação.

Durante todo este período conheceu seu esposo, o Pastor Carlos Mariano, noivaram e se casaram. Em 2.009 se mudaram para Cruzeiro do Sul com a finalidade de implantar a Igreja Batista do Bosque na cidade. Uma Igreja cristã que tem Jesus e a Bíblia como sua única razão de fé e prática que prima pelos princípios do governo dos 12, realizando a evangelização e usando como estratégia as células que são pequenos grupos de oração e estudo da Bíblia. É uma Igreja que ama a Deus e as pessoas.

Hoje, Jamile tem uma família que foi a maior conquista da sua vida. Iniciando em 2.008 com três filhos: Samuel, Rebeca e Sofia e seu esposo que a ama muito e fortalece suas conquistas. Nestes quase nove anos em Cruzeiro do Sul seu esposo tem trabalhado com afinco pelo crescimento do Reino de Deus, pela restauração das famílias, sempre com a preocupação em fazer a obra de Jesus e acreditando na redenção do vale do Juruá.

Jamile sente-se muito feliz em poder contribuir profissionalmente e espiritualmente pelo crescimento desta cidade que adotou como dela em seu coração e se sente feliz em viver em Cruzeiro do Sul, junto com sua família e fazer a diferença na vida das pessoas contribuindo para uma sociedade melhor, pelos valores da família e pelos princípios de Deus. Que toda honra e glória seja dada ao Senhor Nosso Deus, que sem Ele esse trabalho não haveria prosperado e não teria frutificado. Ebenezer: Até aqui nos ajudou o Senhor!

Netas da professora Lacy, que esta viajando, receberam emocionadas o título

Netas da professora Lacy, que esta viajando, receberam emocionadas o título

A professora aposentada Lacy Freitas do Vale, nasceu em Porto Walter, filha de Marçal Ferreira da Costa. Orfã de mãe com dois anos foi criada pelo pai a quem recebeu o amor e a educação moral e foi a base da sua espiritualidade cristã.

Em Porto Walter dona Lacy concluiu seu curso primário e admissão, sendo transferida para Cruzeiro do Sul dando continuidade aos estudos no Instituto Santa Teresinha, onde concluiu o curso Magistério, formando-se professora. Em 1.965 contraiu matrimônio com o senhor Getúlio do Vale, passando a residir no município de Marechal Thaumaturgo, onde exerceu o cargo de professora, sempre voltada para o bem comum de toda aquela comunidade, principalmente as famílias carentes. Lá foi mãe de sete filhos.

Em 1.980 foi transferida para Cruzeiro do Sul onde continuou com o cargo de professora por três anos. Depois assumiu o cargo de coordenadora do supletivo de 1º e 2º Graus sem desviar o olhar e cuidados na educação moral e religiosa dos seus filhos. Dona Lacy continuou sempre com seu trabalho social, servindo aos irmãos necessitados, principalmente os idosos de Marechal Thaumaturgo, acompanhando-lhes em processos de aposentadoria e outros. E em 1.994 aposentou-se de sua função de professora, mas continuou servindo a Igreja como coordenadora do dízimo e evangelizadora. Hoje auxilia seu filho no comércio onde tem a alegria de conviver com pessoas de várias culturas e servi-los no necessário prestando sua solidariedade.

Hoje, com 72 anos é consagrada na Comunidade Católica Shalom, na qual é chamada por Deus a anunciar e ministrar a paz, o próprio Cristo para todos. Semanalmente leva o pão, que é a palavra de Deus, com sorriso e alegria aos presidiários da penitenciária local, e como ministra da Eucaristia acompanha vários projetos e servem aos idosos e enfermos, muito atenta na caminhada da família reunindo-se semanalmente para a partilha de vida e da palavra intercedendo pela humanidade e de forma especial pelas famílias sendo essa sua principal alegria em servir.

Como Shalom, o cerne de sua vocação é o amor esponsal.

O lema de sua vida e o seu carisma é: se consumir pelo amor de Deus e ao próximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*