Dindola: cruzeirense que mora em Cuiaba escreve Poemeto em homenagem ao Aniversário de 113 anos de Cruzeiro do Sul

Dindola: cruzeirense que mora em Cuiaba escreve Poemeto em homenagem ao Aniversário de 113 anos de Cruzeiro do Sul

dindola para usar

O cruzeirense Raimundo Carlos de Lima, mais conhecido como “ Dindola”, que mora em Cuiaba (MT) há muitos anos onde exerce sua funçao de Auditor Fiscal, aprovado em concurso publico e já desempenhou varias funções na Delegacia da Receita Federal desde 1988 e também ministrou aulas em alguns cursos para concursos em sua área de atuação. Mas, mesmo longe, Dindola sempre esta presente e a par de tudo que acontece em nossa cidade.

Cidadão interessado em contribuir com a educação e cultura de Cruzeiro do Sul, no mês de Janeiro de 2016 realizou o lançamento do livro “ Na Amazonia Ocidental – A cidade sede do Alto Jurua revelado”, que homenageia e conta historia do município. Com o objetivo de dar continuidade a sua contribuição com o município neste setor literário, o cruzeirense escreveu o poemeto “Amor a terra do Extremo Ocidente”, como homenagem pela passagem dos 133 anos de Cruzeiro do Sul.

Amor à terra do extremo ocidente

(poemeto – homenagem pelos 113 anos de Cruzeiro do Sul)

Autor: Raimundo Carlos de Lima (Dindola)  

Em meu coração há vários amores

Um deles é vinculado ao meu rincão brasileiro

Que por ser a terra do meu coração

Faço homenagem a “Cruzeiro”

Viver fora da terra, nem sempre exprime estar ausente

Mas crescer junto é dádiva que muitos querem ter

Sentir da terra a evolução passo a passo

É algo que dá mais prazer

Há gente que se orgulha

Por nascer e viver em lugar pronto

É porque não teve o privilégio

De fazer a conquista em cada ponto

A conquista do extremo ocidente brasileiro

Teve lutas, sacrifícios e glórias

Com brasileiros e estrangeiros lutando pelo Brasil

Contra ações de peruanos do caucho predatórias

Com navios, ubás, barcos e canoas

Subiram os exploradores o glorioso Juruá

E respeitando os bravios índios Nauas

Anos depois avós meus estavam lá

Em virtude da borracha e do comércio

Mais gente continuou a chegar

E por haver ali muitos íncolas brasileiros

A diplomacia brasileira começou a atuar

Belém e Manaus nasceram muito antes

Com a chegada dos portugueses pelo mar

À época os homens não conheciam

As riquezas naturais do alto Juruá

Anos após os primeiros exploradores

Nasceu em 1904 a cidade-sede do Alto Juruá

Mas a glória de tudo isso

É que as sementes vieram a brotar

Em 2017, completando 113 anos

Cruzeiro do Sul ainda jovem está

E mesmo enfrentando males que afligem o Brasil

Ainda assim o Cruzeiro há de brilhar

* Raimundo Carlos de Lima é cruzeirense, autor do livro NA AMAZÔNIA OCIDENTAL, a cidade-sede do Alto Juruá revelada, 2015. Lançamento: janeiro de 2016.

 

 

2 comentários

  1. Quero aproveitar a página deste importante jornal, Voz do Norte, para parabenizar minha terra natal, Cruzeiro do Sul (AC), por seus 113 anos de muitas lutas, conquistas e glórias. PARABÉNS CRUZEIRO DO SUL!

    Aproveito a oportunidade para agradecer ao Diretor de nosso Voz do Norte, Elson Costa, pela contribuição que faz publicando a singela homenagem que ofereço à minha inesquecível cidade com o poemeto “Amor à terra do extremo ocidente”.

    Peço a Deus que, do trono de seus esplendores, continue abençoando Cruzeiro do Sul.

    Saudações cruzeirenses!

    • O Jornal Voz do Norte On Line foi efetivado exatamente pra atender a todos os cruzeirenses, principalmente os que estao Brasil e mundo afora em suas sagradas missoes de trabalho…Parabens pelo belo poemeto…que homenageia nossa Cruzeiro do Sul…O sentimento a distancia pelo torrao e uma prova de grande amor pela sua cidade natal…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*