Prefeito de Guajará garantiu em reunião com pais construção de escola no Gama em 60 dias, mas além de não cumprir reforma casa de madeira para funcionar como escola
Prefeitura reforma casa de conhecido do prefeito para funcionar como escola, mas o ano letivo ainda não iniciou

Prefeito de Guajará garantiu em reunião com pais construção de escola no Gama em 60 dias, mas além de não cumprir reforma casa de madeira para funcionar como escola

Prefeitura reforma casa de conhecido do prefeito para funcionar como escola, mas o ano letivo ainda não iniciou

Prefeitura reforma casa de conhecido do prefeito para funcionar como escola, mas o ano letivo ainda não iniciou

Pais de alunos da comunidade do Gama, distante da sede do município de Guajará (AM) cerca de 40 quilômetros por uma estrada de barro que quase sempre está em péssimas condições de tráfego, principalmente no inverno, denunciaram ao vereador Liba (MDB) que até o presente momento as aulas do ano letivo da rede municipal de ensino ainda não começaram por conta de não se ter um local adequado para atender os estudantes.

Depois de uma denúncia feita pela Câmara Municipal alertando sobre a situação caótica das escolas da zona rural de Guajará e ainda o abandono das obras de uma escola na comunidade do Gama o prefeito Ordean Gonzaga, que na época estava em Manaus, quando retornou se reuniu com pais de alunos na Associação de Produtores Rurais do Gama, no dia 18 de Março, momento que garantiu a construção de uma escola nova em 60 dias.

Mas, na realidade, até o presente quase nenhuma providência foi tomada pela prefeitura de Guajará para honrar o compromisso do prefeito e  solucionar o problema dos alunos que continuam sem iniciar o ano letivo de 2018. Ao invés de providenciar a construção de uma escola, como foi garantido na reunião com os pais, a prefeitura iniciou reparos numa casa de propriedade de um conhecido do prefeito para servir como escola.

Na casa de madeira que não oferece a condição ideal para atender com o mínimo de conforto os alunos estão sendo feitas adaptações para a mesma ser usada como escola. A varanda da frente foi fechada com tábuas, aberta mais uma porta na frente da casa e ainda não se sabe se o local já dispõe de instalações sanitárias para atender as necessidades dos alunos que no ano passado usavam um local sem as mínimas condições higiênicas.

Escolas do interior de Guajará continuam abandonadas e sem nenhuma reforma

Situação crítica da escola do Lago Verde é denunciada pela comunidade

Situação crítica da escola do Lago Verde é denunciada pela comunidade

A reclamação foi novamente feita na tribuna da Câmara Municipal de Guajará pelo vereador Liba (MDB), nesta segunda-feira (14). Ele esteve na comunidade do Gama e destacou a preocupação com a situação caótica das escolas do interior do município que quase na sua totalidade estão em precárias condições e não oferecem segurança para serem utilizadas, a exemplo da escola em madeira que atende os alunos da comunidade do Lago Verde, no baixo Juruá, distante cerca de 30 minutos da sede a motor de rabeta.

Na cozinha em péssimas condições material de higiene e de preparar a alimentação ficam juntos

Na cozinha em péssimas condições material de higiene e de preparar a alimentação ficam juntos

guajara escola 100

Os moradores do Lago Verde denunciam que a escola está tomada pelo mato, com a energia cortada e funciona utilizando um rabicho da energia do vizinho, num quadro de total abandono e falta de respeito com os estudantes da comunidade. Em outras comunidades do interior a situação ainda é mais preocupante por conta da falta de estrutura das escolas que colocam inclusive a segurança dos alunos em risco.

Através de sua Assessoria de Imprensa o prefeito Ordean Gonzaga informou que referente a escola do Gama a prefeitura está apenas aguardando o  ramal enxugar para levar o material para conclusão da obra que está parada desde 2016. A ação é resultado de um grande esforço do prefeito junto ao FNDE e uma empresa já ganhou a licitação que está publicada no Diário Oficial para concluir a obra e garantir um ambiente de qualidade aos alunos.

Com referência a questão das aulas que ainda não iniciaram no Gama o assessor informou que o prefeito fez um acordo com os pais da comunidade, que assinaram um documento e apenas um dos pais não concordou com o que foi acertado de que seria alugado um local para iniciar as aulas em breve e  com referência a escola do Lago Verde foi informado que a energia está cortada desde o mandato do ex-prefeito Hélio Melo, há cerca de dois ou três anos.

“ O prefeito Ordean já realizou um acordo com a Companhia de Eletricidade do Amazonas (CEAM) para a religação da energia e nos próximos dias uma equipe da prefeitura estará se deslocando aquela comunidade do Lago Verde para realizar a limpeza da referida escola e que a sensibilização da equipe do FNDE em Brasília, a pedido do prefeito, vai garantir a conclusão da obra da escola do Gama”, disse o assessor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*